Artigo CNA Lunação Sagitário

Lua Nova de Sagitário, Renovações no Horizonte

18 de dezembro de 2017 Artigos, Lua Nova, Lua Nova / Lunação no comments

*Por Fabrizio Ranzolin

Aos dezoito dias deste dezembro, por volta das 2hs e 30 min da manhã, apresentando o início do Verão no hemisfério Sul unido à entrada de Saturno em Capricórnio, ocorre a Lua Nova de Sagitário a 26° (graus) 31’ (minutos) tropical. Um momento astrologicamente importante que influenciará a entrada de 2018, esta Lua nova de Sagitário será a embaixadora celeste do novo período astral mais importante do momento atual. Trazendo muitas mudanças importantes na continuidade do espaço tempo que nós interpretamos como realidade.

São três eventos celestes realmente significativos que ocorrerão em cadeia, quase que simultaneamente. O início do novo ciclo lunar, Lua Nova Sagitário agora dia 18, seguido da entrada de Saturno em Capricórnio dia 20, e a posterior entrada do Sol em Capricórnio dia 21, quando se manifestará o dia mais longo do ano, o Solstício de Verão, a plenitude da Luz e calor no hemisfério Sul. O Sol adentrará Capricórnio unido a Saturno, “o construtor de mundos” do leonino Alan Leo (meu mestre de cabeceira).

No mapa do momento da Lua nova ocorre um importante stellium em Sagitário, os luminares em conjunção, Mercúrio Retrógrado, Vênus e Saturno. A estrela magnânima de nossas vidas, o Sol, aplica conjunção de aproximação a Saturno, para juntos adentrarem no reino de Capricórnio tropical. O tom das luminares em Sagitário estará “trinando” em orbe estreita a Urano Áries retrógrado, dinamizando o momento de forma revolucionária, podendo trazer ações extremistas e fora de controle, mas que tendem a ser positivas de forma geral em seus resultados posteriores. Urano, o libertador, traz a evolução de forma radical, mas necessária, inicialmente complicada e com atritos; a civilização humana em geral é resistente e demanda de choques para se mover e crescer.

No momento da Lua nova, enquanto as luminares em Sagitário trinam Urano, Júpiter e Marte despontam brilhando no horizonte de Escorpião com eixo nodal em fixo Leo/Aquário no meio do céu. Nesta Lunação a intensidade será algo semelhante a uma explosão (quando algo que parecia pequeno se expande ou fica muito grande muito rapidamente), onde questões internas restritivas precisarão romper o tecido do coletivo subconsciente (nodo sul Aquário I.C.) para impor-se de forma forte e individualizada na realidade (nodo sul Leão M.C). Excesso de fogo e pouco ar no mapa da Lunação, explosões sempre são fortes, afetando tudo o que está ao seu redor, mesmo que de forma não intencional originalmente. Mas como Sagitário prega e Leão realiza, será necessário confiar mais em si mesmo e levantar a cabeça do mergulho na realidade imposta pela crença do todo, para trilhar um caminho verdadeiro no próximo ciclo que começará no próximo ano.

A sensação de explosão desta lunação de Sagitário também advém da percepção de Marte/Júpiter Escorpião, fixo água, e do o eixo nodal Leão/Aquário, fixos yang M.C e I.C. A questão de que para seguir em frente na busca de um caminho que faça sentido, há que confrontar para romper com algo interior, emocional e resistente, passado e subconsciente, que impede o ser de experimentar-se pleno e livre em sua realidade (Sol/Lua/Sagitário).

Esses últimos passos de Saturno em Sagitário finalizam uma fase de mais de dois anos de muitas questões complicadas, onde todos estavam tentando encontrar e perseguir uma direção para seguir. Neste processo houve o aumento acentuado do fanatismo e extremismos, e de forma tão exagerada que acabaram por escorregar para fora da realidade. Mas Saturno em Capricórnio começa a mudar a dinâmica perceptiva da realidade, e, agora, depois de tanto buscar, entrar e sair de diversas escolhas e caminhos (mutável), finalmente haverá definições concretas que indicarão a direção que faz o sentido real, para começar a caminhar (cardinal) no caminho verdadeiro.

Sagitário, o ser mítico, meio homem meio cavalo, o arqueiro e o centauro. Um homem de barbas e cabelos longos que carrega um arco e flechas, o sábio, aperfeiçoado por suas experiências de vida, fundido a um animal mágico e livre que é o cavalo. Seres intuitivos, inteligentes e mágicos, os cavalos necessitam ser livres para experimentarem o mundo e desenvolver sua força, e morrem se forem aprisionados. A liberdade traz a oportunidade de experimentar possiblidades que estão muito além do que pode ser apenas concebido. Como dizia outro mestre de cabeceira “ser livre tem seu preço, mas sempre vale a pena pagar”, e Sagitário tem a aptidão natural para pagar o preço que a liberdade exige.

Guerreiro e caçador, a constelação de Sagitário aponta para o coração da galáxia, interessante que, agora, em 26° Tropical, Sol e Lua encontram-se também em Sagitário Sideral, da constelação. Assim, na luta e perseguição, tanto pela fé como pela liberdade, nesta lunação de Sagitário, poderemos reencontrar as motivações profundas que nos movem e nos motivam para seguir em frente de forma livre e plena. Reconectar-se com o sentido pelo qual fazemos o que fazemos todos os dias, pelo que vivemos, e, especialmente, lembrar o que é tão maior e importante em nossa vida, que, por isso, abriríamos mão de tudo o mais. Esteja atento para situações que apresentem esse momento decisivo, de abrir mão e deixar ir tudo o que é pequeno e que não importa na sua vida. Há situações que veem para nos libertar, e então percebemos com clareza pelo que vale a pena viver e morrer. Os eventos que ocorrerem, ou iniciarem agora, terão clara apresentação na próxima Lua crescente, plenitude de realização na Lua cheia, e entre a Lua minguante até próxima Lua nova, definição ou conclusão. Grandes guerras são travadas por religião, fé e liberdade, e também por poder e grandeza (Júpiter/Saturno), tanto a nível coletivo como individual.

Atribuir objetivos importantes e alcançá-los, buscar um sentido nas realizações da vida a fim de seguir um caminho verdadeiro para a alma, são correspondências da conjunção Sol/Lua Sagitário e posterior ingresso Sol/Saturno em Capricórnio. Saturno em Capricórnio manifesta que a própria busca em si mesma pode trazer um sentido de ser para o buscador (Sagitário), mas também impõe que, para realizar (Capricórnio) é necessário compromisso (Saturno) com o objetivo. Ou seja, através de certas restrições e aceitação de responsabilidades que surgirem agora. Capricórnio, o antílope das águas profundas como assim o denominavam os Babilônios, misto de cabra e peixe, um ser ensinava a arte da civilização aos homens, por isso deus da sabedoria, dirigindo as atividades de trabalho, e retornando a noite para as águas profundas (sendo, na época, a água a maior das riquezas).

Com a sombra de inconstância e falta de perseverança, talvez o maior desafio do momento, de Sagitário, seja encontrar seu ideal verdadeiro para seguir, um ideal da alma escondido nos eventos que se manifestarem na realidade neste período. Somente encontrando esse ideal poderá sentir-se pleno. E Saturno poderá auxiliar exatamente neste importante ponto, que será o ponto de partida do início da jornada no novo ano. Talvez o objetivo mais verdadeiro esteja mais perto e seja muito mais simples do que se espera. Saturno Capricórnio tem essa qualidade preciosa de trazer para a consciência algo importante, que estava ali, debaixo do nariz o tempo todo, mas que, olhando alto demais (ou “mirando” muito longe, como Sagitário faz) ainda não havia sido percebido.

As atribuições nobres de Sagitário são o movimento e a ação expansiva em direção às metas para o futuro (Júpiter), perseguindo incansavelmente o sentido para tudo em sua vida com larga amplitude de horizontes, valorizando seu espaço para viver plenamente sua liberdade. Também a luta pela justiça, a busca pela verdade e o conhecimento. Atirar flechas e correr é simplesmente mais forte em Sagitário do que parar para falar, o seu oposto, Gêmeos. Assim, “Gêmeos de Sagitário”, pode falar de forma franca demais, sem “papas na língua”, com palavras podendo ferir como flechas, gerando antipatias e problemas resultantes dessa franqueza exagerada.

Como o regente Júpiter é o grande benéfico, o maior planeta do sistema solar que atrai os meteoros que poderiam atingir e Terra, e os desintegra em sua atmosfera poderosa de Zeus, deus do raio e da tempestade; Essa lunação de Sagitário traz a semente benevolente da renovação, do otimismo, do idealismo positivo, da generosidade, da busca pela fé e do conhecimento sincero e da justiça, estando estas áreas muito favorecidas.

mapa Chico Mendes

Grande exemplo magnânimo da luta por ideais nobres gerados na Lunação de Sagitário, com clara relação com o momento em que vivemos – de Saturno ingressando em Capricórnio – foi Chico Mendes.

Nascido em uma Lua nova de Sagitário, com Marte Sagitário e nodo sul em Capricórnio, Francisco Alves Mendes Filho, ou Chico Mendes foi, e ainda o é, uma referência internacional na preservação da Amazônia. Encarnando o símbolo vivo da necessidade de lutar por um ideal maior, Chico Mendes deu sua vida pelo que acreditava, influenciando poderosamente toda sua comunidade, e posteriormente, a comunidade internacional.

Chico começou a trabalhar ainda criança, já que acompanhava seu pai em sua rotina diária no interior da floresta. Cresceu na vida simples de buscar na floresta todo o necessário para dar sustento para sua família. Foi alfabetizado aos 19 anos por um guerrilheiro, já que não existia escolas em sua região, e então iniciou seu trabalho para trazer conhecimento aos demais em sua comunidade. Consciente das questões sociais e ambientais que a relação da comunidade com a floresta trazia, ajudou a organizar o trabalho e a resistência dos seringueiros, transformando-se em um grande ambientalista.

Lutou para alfabetizar e conscientizar os seringueiros para que não fossem explorados pelos fazendeiros. Com isso começou a fazer opositores e inimigos, já que sempre fora conveniente aos fazendeiros, grandes proprietários de terras, que a comunidade permanecesse ignorante e analfabeta. Realizou grande trabalho unindo seringueiros, castanheiros, pequenos pescadores, quebradeiros de cocos e índios, na União dos Povos da Floresta, a fim de preservar seu modo de vida independente e sustentável, preservando o meio ambiente, no conceito de reserva extrativista, para a colheita não predatória de matérias primas.

Denunciou para a ONU e ao senado americano projetos de financiamento de bancos estrangeiros que estavam expulsando seringueiros e derrubando a floresta. Com isso conseguiu com que os projetos fossem suspensos, Chico foi acusado pelo governo e fazendeiros locais de impedir o progresso da região.

Em junho de 1988 (Saturno entre Sagitário e Capricórnio) foi o único brasileiro em reunião de 500 notáveis ecologistas da ONU em Washington. Também foi ao longo de 1988 que Chico participou da implantação das primeiras reservas extrativistas no Acre, sendo então ameaçado e perseguido pela União Democrática Ruralista. Foi o fundador da maior reserva extrativista do Brasil, 40 mil hectares de floresta preservada, em São Luiz do Remanso, a 80 km da capital do Acre, o que somente ocorreu devido à pressão internacional sobre o governo brasileiro, resultado da grande repercussão internacional do trabalho de Chico.

mapa falecimento Chico Mendes

Constantemente apontando as ameaças de morte que sofria, com consciência de sua morte iminente, Chico Mendes foi assassinado pelo filho de um fazendeiro ruralista, dia 22 de dezembro de 1988. Na entrada do Sol em Capricórnio, 29 anos atrás, um ciclo de Saturno. Chico foi morto a tiros de escopeta, nos fundos de sua casa à noite, quando foi tomar banho, enquanto a Lua cheia subia no céu, realizando oposição ao grande stellium de Sol, Urano, Netuno, Saturno e Mercúrio em Capricórnio. O julgamento dos assassinos foi concluído em 15 de dezembro de 1989, no dia do aniversário de 46 anos de Chico, com a condenação do mandante e do executor.

Para expressar o mínimo, a força da batalha de Chico Mendes plantou sementes preciosas, que seguem motivando e influenciando a luta em prol do respeito da relação das pessoas com o meio ambiente em todo o mundo, e da importância da preservação da floresta Amazônica.

Sobre o Autor

Astrólogo, escritor e professor holístico. Ministra cursos de astrologia, cristais e xamanismo. Professor na Escola Raphael em Porto Alegre/RS. Palestrante em diversos espaços abordando temas de espiritualidade e autoconhecimento, destaque para palestras regulares na Universidade Luterana ULBRA Canoas. Atende em consultas de astrologia no sul, e em todo o Brasil via internet. Iniciou estudos astrológicos com Bola Harres em 1994; posteriormente completou seus estudos astrológicos de forma autodidata. Trabalhou como técnico de fotografia Kirlian captando e analisando fotos aura, orientando centenas de pessoas com base na Kirlinagrafia em espaços de Porto Alegre e clínica neurologia em Novo Hamburgo/RS. Estudou extensivamente a cura pelos cristais de todo o mundo por 16 anos, aluno coordenador dos cursos do renomado mestre Antônio Duncan. Com sua experiência escreveu livro “Cristais Os Mestres da Luz” Ed. Divina presença, obra que se tornou referência em sua área. Estudou xamanismo em locais sagrados da América do Sul, e budismo, sendo aluno e iniciado do lama tibetano Chagdud Tulku Rinpoche. Parceiro do Ministério do Turismo de Porto Alegre, ministra a oficina de turismo criativo “Cristais e Minerais do Sul”. Ecologista e técnico ambiental com qualificação em direito ambiental, publicou segundo livro em 2013 “O Caçador de Arco-Íris”, Ed. Divina Presença. Escreve artigos sobre espiritualidade no portal “Somos Todos Um”.

Join the discussion

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *