Lua Nova de Capricórnio – Quando a alma amadurece

29 de dezembro de 2016 Arquivo, Artigos, Lua Nova / Lunação no comments

2016 chega à sua reta final. Foi um ano intenso e pesado para muitos conhecidos e todos agradecem ele chegar ao fim. Mas será que chegou mesmo? O quanto esse peso tem a ver com o ano em si? Afinal, o que acontece conosco é resultado de nossas escolhas. Às vezes a escolha pode partir de um terceiro que nos afeta, mas então por que afeta? Conseguimos compreender e aprender essa lição ou estaremos sempre a mercê do destino?

 

A realidade pode nos colocar em nossa insignificância, mas também nos faz despertar. São momentos difíceis que nos fazem perceber o quanto somos limitados, mas dentro dessa limitação existe um potencial único. O quanto estamos prontos para assumir esse potencial e arcar com nossas próprias escolhas e construir nossa realidade?

 

app-para-resolucoes-metas-de-ano-novoAcho muito interessante a Lunação de Capricórnio acontecer justo nessa época. Assim como a cabra, chegamos ao topo da montanha do ano e avaliamos tudo que conquistamos. Muitas vezes preferimos olhar para o que não conquistamos e jogar essa tarefa para o ano que vem, através de promessas. “No próximo ano entrarei na academia”; “no próximo ano darei mais atenção ao meu casamento”; “no próximo ano irei atrás do trabalho dos meus sonhos”. Muitas dessas promessas são vazias, e não será um ano difícil que vai nos impedir de realizá-las, mas sim nós mesmos.

 

 

Isso pode soar bem “saturnino”, mas  estamos em uma lunação em Capricórnio e não poderia ser diferente. O que você deseja construir para si depende muito do que está carregando consigo. Capricórnio é um signo que naturalmente carrega muito peso e responsabilidades. O desafio é real e sabe que para contorná-lo e chegar onde deseja precisa lidar com ele. Pode escolher carregar esse peso até o topo ou pode se livrar um pouco dele, tendo aprendido com ele, visto o que de fato não condiz com sua natureza.

 

Quero abrir um parentêse aqui para fazer uma associação ao mito de Atlas, o titã castigado por Zeus a segurar o peso do mundo. Não é à toa que Atlas é também o nome da primeira vértebra cervical que sustenta o globo que é nosso crânio. A cabeça representa a consciência. Carregamos então todo o peso de nossa consciência conosco. E não há banho de mar ou simpatia que vá tirar essa condição. Ela é mais profunda e exige uma transformação de igual intensidade.

 

Atlas, o gigante filho de Urano e Géia, condenado a sustentar eternamente a abóbada celeste sobre os seus ombros.

 

Observemos o mapa da Lunação: não é à toa que ocorre conjunta a Plutão. Aqui temos de fato o final de um ciclo, o término, a oportunidade de eliminar tudo aquilo que não nos serve que não tem a ver com nossa natureza, para então levar para o próximo ano nosso potencial mais criativo o que implica em realizar melhores escolhas e, assim, construir a realidade que queremos.

 

Lunação de Capricórnio – 29/12/2016, 04h53′, Brasília- DF

 

Bons aspectos acompanham esta Lunação. Temos um sextil a Marte e Netuno, ambos em Peixes. Busque por um sentido. Qual? O seu! Entremos em contato com nossa essência e lutemos por nossos sonhos e ideais. Podemos criar a realidade que queremos se tivermos a coragem de dar um novo significado a muitas coisas. Em um ano em que Saturno foi ativado por Netuno, ressignificação serve muito bem como o ensinamento de 2016. O dispositor Saturno encontra-se em Sagitário e faz sextil a Júpiter e trígono a Urano. Nada está nos impedindo aqui, muito pelo contrário. Devemos assumir a responsabilidade por nossos ideais, romper com barreiras e padrões pessoais e permitir nossa expansão na direção escolhida, sendo esta a verdadeira.

 

Já na Lua Cheia,  o bom aspecto a Marte permanece, mas entra-se na configuração da quadratura T entre Júpiter, Urano e Plutão, que se iniciou final deste ano. A grande cruz que se forma pode nos colocar a seguinte questão: estamos preparados para assumir o risco de nossas escolhas? Conseguiremos nos transformar, deixar o que não nos serve mais para trás sem precisar recorrer a extremismos? Lembremos da Lunação com a conjunção Plutão, a transformação deve ser na alma e isso não é algo tão simples de fazer, e atitudes sem controle poderão apenas piorar a situação. Resgato novamente o mito de Atlas. A pedra que carregamos traz consciência. Devemos sempre enxergar a realidade e aprender com os desafios, adquirir consciência de quem somos e o que queremos. Caso contrário, avançaremos por 2017 também insatisfeitos, ansiosos para que o ano acabe logo novamente e apontando o quanto ele foi ruim e pesado conosco.

 

Lua Cheia de Capricórnio – 12/01/’2017, 09h34′,  São Paulo- SP

 

 

 

Parece então que todo final de ano, com a Lunação em Capricórnio, vivemos um pequeno retorno de Saturno. Saímos mais maduros mediante às dificuldades do ano e aos poucos, ano a ano, aprendemos um pouco mais sobre nós mesmos. Esse, inclusive é tema de um livro que apareceu a mim em 2016. Em “O Retorno de Saturno”, de Gael Rodrigues, (https://www.amazon.com.br/Retorno-Saturno-Gael-Rodrigues-ebook/dp/B01LXKHUHY) o protagonista, insatisfeito com sua vida, decide trocá-la, substituindo-o por um ator e assumindo uma vida que sempre quis. Tudo é feito por intermédio de uma empresa chamada Saturno.

 

“Saturno, então, procurava alguém, dentro daquelas biografias, que provavelmente invejaria aquela vida. E oferecia a chance que elas sempre quiseram: ser quem elas queriam ser. Em contramão, ofereciam um vida inexistente aos insatisfeitos. Eles recomeçavam uma nova vida. Mas se pode recomeçar uma nova vida? Ele não acreditava nisso. Ele podia apagar tudo no mundo externo, manipular situações e histórias… Mas dentro, eles iam continuar os mesmos. Os mesmos insatisfeitos.”

Seria esse o sentimento de recomeço que levamos agora para o próximo ano? Mas o quanto realmente ele e válido? O que devemos é encarar e transformar os desafios do passado, uma vez que carregaremos (conscientemente ou não) esse peso ao futuro. Assim essa Lunação traz aquilo que o signo de Capricórnio tem mais associação: responsabilidade. Aceite os desafios e assuma responsabilidade por si mesmo. Deixemos de fazer promessas passíveis de serem cumpridas e façamos escolhas.

 

id597571sw1680w1680h1050

Sobre o Autor

Astrólogo formado pela Humaniversidade e Gaia – Escola de Astrologia. Atualmente colabora com horóscopo e matérias para o portal da revista Glamour.

Join the discussion

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *