Ciclo de 19 anos dos Eclipses » Mesmo grau do Zodíaco Ativado » Em que ponto do seu Mapa Natal cai o grau deste Eclipse?

5 de setembro de 2016 Artigos, Astrologia Psicológica, Ciclos Astrológicos, Eclipses, Mecânica Celeste 1 comment

O ciclo metónico:

[Clique sobre a imagem e deslize o slider para poder apreciar os 2 horóscopos e o grau de Sol e Lua em ambos]

 

    Desde o século VI a.C. sabe-se que os Eclipses não acontecem com uma frequência randômica. O estudo de seus ciclos por observadores e astrônomos babilônicos acabou estabelecendo uma regularidade em seus surgimentos e correlacionando os períodos nos quais acontecem. Historicamente, foi possível elucidar a data de um famoso Eclipse previsto por Tales de Mileto em 28 de maio de 585 a.C. que terminou por evitar um grande conflito armado entre os medos e os lídios. Prestes a entrarem em combate, curvaram-se com temor e respeito ante a magnitude do fenômeno e optaram por um acordo de paz repentino, desistindo de qualquer beligerância. Esse batalha -que não aconteceu- tornou-se o primeiro acontecimento histórico datado com precisão absoluta, em virtude das medições astronômicas modernas associadas a tal evento.

    Um dos ciclos mais regulares e difundido dos Eclipses é o ciclo de Saros, que não vou desdobrar neste artigo… mas que basicamente envolve a repetição de diversas séries, dentro de um único período de aproximadamente 1260 anos.

   Contudo, existe um outro ciclo menos popular chamado ‘metónico’ (ou metônico) que em verdade acabou ficando associado ao nome de Meton de Atenas -engenheiro, astrônomo e matemático grego, nascido em 460 a.C.- embora não tenha sido ele seu legítimo descobridor.

    Este ciclo metónico é uma correlação praticamente equivalente entre 19 anos solares e 235 ‘meses’ lunares.

    Em função de anos bissextos e outras vicissitudes calendáricas, a margem de aplicação deste ciclo não é de 100%, especialmente se procurado dentro de longos períodos seculares… mas à repetição das Luas Novas e Cheias nas latitudes corretas como para configurar-se como um Eclipse com frequência de 19 anos pode ser constatada com regularidade quase precisa.

    Uma das incríveis particularidades do ciclo metónico é que sua repetição se dá no mesmo dia do ano (com uma pequena diferença no horário) e também dentro do mesmo grau zodiacal. Em tese, isto significa que os posicionamentos de Sol e Lua, dentro do ciclo metónico, serão os mesmos a cada Eclipse ocorrido com um intervalo preciso de 19 anos.

    Por ventura das circunstâncias, isto se aplica perfeitamente ao Eclipse de 1° de setembro de 2016 que tem estreita correlação com o Eclipse de 1° de setembro de 1997 há exatos 19 anos atrás.

Anular ecllipse

    Eclipse de 1° de setembro de 2016:   

    Sol e Lua a 9°21’10” de Virgem

    Eclipse de 1° de setembro de 1997: 

    Sol e Lua a 9°33’40” de Virgem

    Esta ‘coincidência’ no posicionamento se torna especialmente significativa quando o grau do Eclipse -no caso 9° de Virgem- represente um ponto relevante de seu Tema Natal, como algum Planeta, ponto de Aspecto perfeito com algum Planeta, ponto médio entre Planetas representativos ou ainda a Cúspide de alguma Casa Terrestre Astrológica, especialmente as angulares.

    Neste caso, o Eclipse irá ressuscitar questões associadas à experiência sendo vivida há 19 (ou 38) anos atrás, por volta da data de 1° de setembro de 1997… e o grau de ativação destas memórias será inversamente proporcional ao quanto ficaram bem resolvidas, nas suas diferentes manifestações ou dimensões.

    É possível que exames de consciência ligados aos valores adquiridos durante esta época, venham a tona. É possível que as consequências a longo prazo de atitudes e decisões vinculadas a este período em retrospecto venham a provocar uma mudança de oitava na manifestação dos Planetas ou pontos envolvidos tocados pelo Eclipse, acarretando novas definições que encerrem simbolicamente o ciclo ou elevem sua natureza a um estrato superior. O momento forja a prevalência de uma visão em perspectiva, na qual o Ser contempla sua vida e percebe algumas escolhas em destaque, que determinaram o rumo crucial de seus passos e consolidaram o destino nesta direção. Por sua vez, é possível que a bússola interna indique algum desassossego com a direção tomada…. e as definições prementes foquem em revisar esta orientação e corrigir o curso para algo mais próximo daquilo que o coração anseia, horizonte parcialmente desviado há 19 anos atrás.

    Caso os Planetas significadores de saúde no Tema Natal -assim como a Casa VI- tenham sido ativados pelo grau do Eclipse, é provável que a vitalidade física se veja prejudicada nesta hora, contribuindo para a quietude corporal necessária para a revisão minuciosa destes processos psíquicos. A reativação de antigas memórias celulares pode desestruturar o tônus muscular, levando as fibras a reviverem estados anímicos presentes nesse passado distante, como que exortando o corpo a trazer a tona as vivências daquele capítulo em particular. Tornam-se assim prováveis estados de esgotamento físico ou exaustão.

    Uma vez que foi a luz do Sol sendo obscurecida pela Lua durante este eclipse anular em Virgem, a capacidade de julgamento requerida para analisar minuciosa e criteriosamente alguns valores vigentes e ainda linká-los com experiências passadas, pode vir a ser obnubilada, ou ainda, exigir o triplo de energia do que em circunstâncias normais. Não obstante, parece residir na natureza deste processo a chave que conduz a um desfecho favorável, pois este consumo extra de recursos tem o dom de desmontar algumas defesas psíquicas que agem como obstáculos à uma visão em perspectiva e que necessariamente precisam cair em função do bem maior que irá surgir na conclusão saudável do processo.

    Cabe ressaltar que o Dispositor Celeste desse Sol e Lua em Virgem ao momento do Eclipse é um Mercúrio Estacionário Retrógrado, Domiciliado (exaltado para a tradicional) praticamente em grau anarético -crítico- e em Conjunção Partil com um Júpiter -já com a passagem comprada para Libra- em maus lençóis, uma vez que Virgem não é um dos melhores lugares para ele… Este Mercúrio fará questão de ultrapassar todas as análises dolorosas que venham a ser colocadas em pauta -porque está em casa- mesmo que isto implique em níveis críticos de sub-rotinas analíticas sem fim… mas não está funcionando a todo o vapor que a altura dos encargos autoimpostos lhe requer. Sua condição Rx e a Conjunção com Júpiter -seu oposto complementar em natureza- que mesmo debilitado lhe força a ver o outro lado do eixo que eles compõem, acabam minando sua capacidade analítica standard. Eventualmente, isto pode levá-lo a um colapso de suas estratégias mentais, postergando suas capacidades cartesianas para depois de uma boa sessão de sono, que poderá chegar sem aviso, repentinamente.

    Se quiser, reveja este artigo sobre Mercúrio Retrógrado » [Clique]

    Cuidado com as faxinas propostas pelo combo de Planetas em Virgem… é possível que você se depare com alguma caixa, gaveta ou álbum fotográfico que depois de aberto você vai querer jogar fora, ou no mínimo, rotular como “Memórias ruins – não abrir novamente!”… e isto pode vir a ser o gatilho que desperte a retrospectiva crucial em sua psique.

    Como resultado derradeiro deste Eclipse, a meta final é uma purificação… cuja clareza cristalina traga indícios mais contundentes sobre aonde quer se chegar e deste modo possam ser feitos os ajustes necessários para corrigir o destino, tornando a viagem extremamente mais leve. A conexão com o que se passou há 19 -ou 38- anos atrás, dará algumas cartas que podem ajudar a vencer o jogo.

    Resta esclarecer que a influência dos Eclipses se estende bem além da data de sua ocorrência e que os processos complementares desatados podem atingir ápices, interligando começo, meio e fim entre um Eclipse e o próximo. Isto é particularmente válido para o contexto atual, no qual o Eclipse de 1° de setembro terá sua contrapartida sequencial de Lua Cheia em 16 de setembro de 2016 às 16:05:02hs (Brasília) com o Sol a 24°19’56” de Virgem ♍ a e Lua a 24°19’56” de Peixes ♓

    Algumas pessoas estão completando 19 anos de vida nas proximidades deste Eclipse de 1° de setembro… para eles há um recado bem interessante, que talvez traga uma descoberta surpreendente: Você nasceu perto de um Eclipse. Descubra o que isso significa!

    A Casa astrológica do seu Mapa Natal onde incorreu o Eclipse, tem pistas evidentes sobre os assuntos que devem ser colocados em pauta. Os Planetas afetados por aspectos quase perfeitos, significam os recursos que devem ser mobilizados. As Casas que eles regem, são indicativas das áreas onde tais recursos podem ser acessados e onde procurar pelos inter-relacionamentos que irão promover o desdobramento deste processo. A amálgama que ligará todos estes componentes, reside em sua consciência.

    Resumindo, procure em seus registros, agendas, diários pessoais e afins, qualquer indício que lhe permita elucidar o que estava acontecendo em setembro de 1997 ou 1978… e você terá altas respostas que darão o maior sentido a este ciclo metónico e ao seu processo atual de vida! Não deixe de documentar o que está acontecendo agora, pois tais informações poderão lhe ser uteis em 1° de setembro de 2035, quando os graus de Sol e Lua do próximo Eclipse do ciclo a 9° de Virgem sejam reativados mais uma vez.

@>–>—

 

Atualização do artigo em fevereiro de 2017

Comparação do Eclipse de 26 de fevereiro de 1998 com o de 26 de fevereiro de 2017

[Clique sobre a imagem e deslize o slider para poder apreciar os 2 horóscopos e o grau de Sol e Lua em ambos]

Eclipse 10   
Eclipse de 26 de fevereiro de 1998:

Sol e Lua a 7°54’39” de Peixes ♓

Eclipse de 26 de fevereiro de 2017:

Sol e Lua a 8°12’06” de Peixes ♓

 

Após praticamente 6 meses do Eclipse de 1°/09/2016, o Eclipse de 26/02/2017 além de também responder com precisão ao Ciclo Metónico, apresenta uma outra particularidade: O grau de Sol & Lua está em oposição com o do Eclipse de 1°/09/2016

Enquanto o grau em pauta em setembro de 2016 era 9° de Virgem, fevereiro de 2017 aponta para Sol e Lua no grau 8° de Peixes. Isto significa um Eclipse Solar cujo grau de Lunação está em oposição direta com o grau da Lunação do último Eclipse igualmente Solar. A oposição, como eixo zodiacal, indica polaridades opostas dentro de um todo coerente que as engloba. Por representar dentro do Mapa Natal tanto Signos quanto Casas  opostas, carrega intrinsecamente diferenças complementares, que quando analisadas revelam-se como fonte de compreensão e sabedoria de uma mesma ordem, implícita no eixo zodiacal sob polaridades contrárias.

Em termos de assuntos pessoais -para aqueles que tem mais de 19 anos- isto quer dizer que além de haver um paralelo entre os desafios propostos durante este Eclipse e o de 19 anos atrás na mesma data e grau, a oposição reinante entre o grau das Lunações fornece uma pista extra, sugerindo que os assuntos sendo abordados há 6 meses atrás -durante o último Eclipse Solar- estão também, de certa forma, vinculados à experiência atual, uma vez que Signos e Casas opostas estão sendo afetados por um semiciclo que se sucede ao ciclo de Eclipses. Isto é especialmente válido para aqueles que em 1°/09/2016 tiveram pontos de seu Mapa Natal a 9° de Virgem sendo tocados pelo Eclipse da época pois, necessariamente, 8° de Peixes forma aspectos não só com esse grau, mas também com outros pontos do Mapa que aspectam esse grau.

Algumas pessoas com Saturno debilitado, em grau crítico, mal-aspectado, em Peixes, ou ainda com Netuno ou Casa XII muito fortes no Tema Natal, tem extrema dificuldade de linkar épocas ao momento atual ou estabelecer paralelos entre datas distantes. Em alguns casos há uma impossibilidade crônica de lembrar datas ou precisar os acontecimentos vinculados a determinada data ou período. Sugere-se para eles manterem registros cronológicos -ou diários- cuja consulta posterior possa elucidar as experiências relevantes a cada época de vida. Contudo, aqueles que se valem de uma agenda mental bem estruturada, mantém um registro cronológico coerente das diversas fases da existência ou tem o dom de linkar diversos momentums e estabelecer nexos brilhantes entre períodos temporalmente distantes, irão tirar partido desta informação. O nexo entre estas datas dos Eclipses, os ciclos que eles indicam e as resoluções de vida marcando estes períodos poderão transformar-se em ferramentas de conscientização altamente produtivas, uma vez que apontarão muito claramente para a(s) área(s) onde uma reformulação radical está sendo solicitada.

Os nexos cíclicos sendo estabelecidos com o que aconteceu há exatos 19 anos atrás na mesma data ou há 6 meses atrás -na oposição- podem vir a traduzir-se em preciosas informações que vinculam pessoas, acontecimentos, lugares, decisões tomadas, orientações de vida, posturas, enganos, ilusões e/ou decepções, que quando devidamente elaboradas e colocadas em perspectiva consciente, a partir do desafio que todo Eclipse traz, possibilitam uma luz sobre as escolhas que estão em xeque e mostram os caminhos que podem vir a abrir-se com extrema coerência e clareza. Particularmente, este semiciclo da oposição no grau em relação ao Eclipse acontecido ha 6 meses, funciona como uma janela de oportunidade para encorajar certas resoluções negligenciadas no passado, a partir de uma nova visão fornecida pela perspectiva oposta sendo apresentada.

Decisões pendentes de 6 meses atrás e que, por algum motivo, não encontraram sua via de expressão na época, se vem favorecidas neste momento, em função da visão do ‘outro lado’ da coisa possibilitar insights surpreendentes e reveladores sobre todo um espectro de informação que permanecera oculta ou velada. Isto é especialmente válido para um semiciclo que envolve Virgem e Peixes. A lunação neste Signo de Água regido por Netuno possibilita níveis de abstração que abrem portas para realidades que a perspectiva cartesiana virginiana nem sonha em alcançar. As dimensões sendo abraçadas durante esta janela de oportunidade é que se constituem como a diferença primordial em relação aos bloqueios de setembro de 2016 e os caminhos que se abrem, decididamente, estão tanto vinculados com o 1° de setembro de 1997 -contrapartida Metónica do Eclipse de 1° de setembro de 2016- quanto com fevereiro de 1998 -contrapartida Metónica deste Eclipse de fevereiro de 2017. Visualize ciclos e experiências vinculados a estas datas e você terá respostas abundantes sobre os processos em pauta.

Como se não fosse o bastante para ser elaborado, o grau 9° de Peixes -em estreita conjunção com o grau 8° do Eclipse atual- já vem sendo sinalizado desde o ano passado, com diversos eventos astrológicos significativos o suficiente como para colocá-lo em destaque: Netuno retomou seu movimento direto em 21/11 dentro deste grau… e em sua condição de Estacionário Direto perambulou dentro do grau 9° de Peixes numa Conjunção Partil [Perfeita] com o Nodo Lunar Sul, até 11/01/2017 quando alcançou o grau 10°. Além de sua Conjunção ao Nodo Sul e Oposição ao Nodo Norte, Netuno se manteve por meses em oposição ao grau preciso em que aconteceu o Eclipse de 1° de setembro de 2016. Contudo, como estes aspectos correspondem a um período ‘entre-Eclipses’ não vem ao caso abordar seu significado neste artigo, pois desqualificaria a informação. Mas esta abordagem já foi feita oportunamente em novembro de 2016 e a interpretação relevante a estes movimentos está disponível, publicada em meu mural fb, para aqueles que quiserem aprofundar  no significado associado a tal > https://www.facebook.com/lito.etchepare/posts/1229628230414289

 

AssOK4 Blue Transparency Delocated Alin right OK

 

 

 

 

 

 

 

 

miguel etchepare – Astrólogo Membro N° 113 – Diretor Digital da CNA [2015~2018]

ॐॐॐॐॐॐ Este artigo será oportunamente incrementado e atualizado a cada Eclipse significativo ॐॐॐॐॐॐ

Mais sobre o autor»

Perfil no website da CNA – Trajetória astrológica – Outros artigos…

Deixe seu feedback nos comentários abaixo...

Deixe seu feedback nos comentários

Sobre o Autor

Atual Diretor Digital da CNA » Gestão 2015~2018 – A pesar de trabalhar com Astrologia profissionalmente desde 1983, no meu coração me considero um astrólogo diletante… pois faço isso desde um lugar de extremo prazer. O ponto mais alto disto é quando a interpretação culmina com um belo ato terapêutico… sinal de que as sementes da transformação foram devidamente plantadas. É assim q meu papel plutoniano se expressa nesta transição biosfera»noosfera, na qual, a pesar das arquetípicas diferenças individuais e os diversos caminhos escolhidos, Somos Todos Um! @>–>—

One comment

  1. Carol
    Posted on nov 16, 2017 at 8:48 AM

    Bom dia! Estou em constante processo de auto-conhecimento. Para ser sucinta, estou em um período crítico profissional. Sou advogada, mas não exerço a profissão há mais ou menos 5 anos. Tenho 38. Com 19 quis parar a faculdade, mas continuei por “obediência” aos meus pais, que consideraram que já que havia começado deveria terminar. Neste ano prestei Psicologia, um desejo antigo. O primeiro que tive para graduação. Mas tenho marido e um filho e penso se conseguirei cursar no ano que vem. Ontem, fazendo anotações em meu diário, dei-me conta de que se passaram exatamente 19 anos da minha crise profissional, e desde então não fiquei bem em nenhum lugar por onde passei. Pesquisei no Google a respeito e descobri o ciclo metónico. E então descobri, também, que nasci próxima de um eclipse solar. Nasci em 16/02/1979 e em 26/02/1979, ocorreu um eclipse… Enfim… Adorei o texto e vou refletir bastante sobre esse ponto na minha vida. Um ponto de decisão, onde acredito que posso mudar algo que não pode ser mudado há 19 anos atrás. Se tiver mais alguma consideração a fazer, eu agradeço. Até mais!

    reply

Join the discussion

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *