O Estudo da Astrologia

11 de Janeiro de 2011 Artigos, Diversos: a partir de janeiro/2010 Comentários desativados em O Estudo da Astrologia

O que leva uma pessoa a estudar a Astrologia? Com certeza não é uma vontade de bisbilhotar a vida dos outros, nem ficar dando conselhos sobre qual atitude alguém deve tomar numa determinada situação utilizando seu poder de “vidente” e assim interferir no karma do cliente. Muito menos, fazer adivinhações de acontecimentos futuros para aumentar sua vaidade pessoal.

Não deve ser nenhuma destas situações acima, porque elas simplesmente não trazem satisfação verdadeira ao astrólogo, nem a ninguém. Apenas podem causar, em alguns casos, uma sensação de poder passageira, que logo após se desfaz e faz surgir uma outra sensação, que é a de impotência.

De que adianta estudar uma ciência, como a Astrologia, se o objetivo não for o de ampliar a compreensão da Vida e da existência?

Buscar entender um pouco mais todo este mistério maravilhoso de que nós fazemos parte, buscar um caminho de Vida melhor para todos que nos cercam, compreender os ciclos da Vida e entender melhor o momento que estamos vivendo, estas sim são as motivações verdadeiras.

De que adianta saber o futuro se não pudermos colaborar para torná-lo melhor?

A Astrologia trabalha com símbolos e estes sempre se manifestarão nos períodos determinados pelos trânsitos e progressões dos planetas no céu e nos nossos céus (mapas) individuais. Porém, estes símbolos podem se manifestar de diversas formas concretas, e não de apenas uma única maneira.

Os ciclos planetários representam determinados processos. Conhecer estes processos e suas fases é importante para compreendermos acontecimentos, decisões, experiências, sentimentos e sensações. Isso é mais importante do que adivinhar fatos, pois através do entendimento das energias em ação, cada pessoa pode participar e interferir mais conscientemente na manifestação concreta de uma configuração planetária.

O caminho energético que percorremos durante nossa vida está predeterminado antes do nosso nascimento, e representado simbolicamente no céu, no momento da nossa primeira inspiração do ar existente em nosso planeta, quando começamos nossa vida individual.

Este momento, que está gravado no céu, representa a assinatura do Universo em nós. Somos parte deste Universo, que também está dentro de nós. “Assim no céu, como na Terra”. Este momento do nosso nascimento possui as características do nosso destino, que é ser o que somos. Nosso destino verdadeiro é sermos quem nós realmente somos.

Um único astrólogo, numa única interpretação de um mapa natal, jamais conseguirá transmitir toda a informação que ali está contida. Mas pode, através de sua interpretação abrangente e clara, ajudar o nativo a conhecer aspectos de sua natureza e compreender o momento que está passando. Mais do que isso, ajuda a comprovar que há um plano maior, que há uma ligação entre o Céu e a Terra, e que nós estamos participando desta interação, com nosso jeito de ser e nossa Vida. Nós pertencemos a este Universo. O Universo é vivo, como nós.

Para uma pessoa se conhecer realmente através da Astrologia, é preciso que ela mesma estude a Astrologia.

E o objetivo maior da Astrologia, não é assustar as pessoas com o que poderá vir por aí. Mas orientar a pessoa a fazer o melhor possível para se adequar às transformações constantes que a Vida apresenta. Os desafios estão aí para serem enfrentados. Não há outra opção. E cada desafio nos proporciona uma maior compreensão da Vida.

A Astrologia ajuda na compreensão do que está sendo solicitado de nós naquele momento, nos mostra onde devemos aprender os novos ensinamentos.

Para isso, o primeiro passo, é uma compreensão clara do que representam os planetas em trânsito e em progressão, e como agem sobre nossos planetas, casas e ângulos natais. Seja um aspecto intenso ou um harmônico, todos representam oportunidades de crescimento. É importante estar com o coração aberto para o que a Vida nos propõe.

A Vida não está preocupada com derrotas e vitórias, pois ambas levarão ao crescimento. Na verdade, o que interessa é a sinceridade da pessoa em relação às decisões que toma na Vida. E essas decisões devem ser baseadas numa maior consciência e num profundo Amor.

Acredito que o objetivo maior da Astrologia é a cura e o bem-estar de todos, a busca pela verdade e pela sinceridade. É conscientizar a pessoa de seu potencial transformador e da possibilidade de se tornar um canal de luz, ou seja, tornar-se um ponto de foco para a manifestação da energia cósmica espiritual. Esta é a abordagem que mais me interessa.

A viagem

A Astrologia nos leva constantemente a exercitar a consciência de que vivemos no Céu. Sim, estamos no céu, viajando nesta nave-mãe chamada Planeta Terra.

Este planeta é circundado por uma maravilhosa luz azul, a nossa atmosfera, dentro da qual, todos nós, seres humanos, vivemos. E, ainda não encontramos outro lugar em todo este Universo infinito – segundo nosso atual conhecimento – onde pudéssemos habitar.

Todo o dia, durante 24 horas giramos em torno do eixo da Terra numa velocidade fantástica. São aproximadamente 40.000km percorridos em apenas 24 horas. De manhã, o sol está no horizonte oriental, no final da tarde já o vemos do outro lado. Parece que foi o sol que percorreu esta distância, mas na verdade, fomos nós, viajando a bordo de nossa nave-mãe Terra.

Todo ano, quando fazemos aniversário, completamos mais um ano de vida, mais uma viagem em volta do nosso Astro-Rei, de nossa fonte de vida e de luz – o sol. Nosso signo solar e, mais precisamente, o grau onde está o sol natal, marca onde, no caminho em torno do Sol, nós embarcamos nesta viagem terrestre. Todo o ano, nós passamos naquele mesmo ponto, naquele portal, onde iniciamos a nossa jornada de Vida. Sem dúvida, é um momento muito importante para cada aniversariante: o sol de transito faz conjunção com o sol natal, um novo impulso vital é dado. É neste momento, quando o sol de trânsito retorna ao mesmo grau, minuto e segundo de arco, do sol natal, que é calculado o mapa celeste da revolução solar. Na verdade, sabemos que é a Terra (com a humanidade a bordo) que está voltando àquele ponto de partida (ou melhor, de chegada).

A Astrologia parte do princípio de que o que está acontecendo em nossas vidas, dentro de nós e à nossa volta, está diretamente ligado ao que está acontecendo no céu. Principalmente no céu que vemos de nosso planeta, durante nossa viagem em torno de nossa fonte de Vida – o sol.

Nesta nossa viagem anual, percorremos um caminho iluminado por estrelas. As estrelas são pontos de luz que nos guiam, durante o ano, da mesma forma que guiavam os antigos navegantes. O nosso “mar” é o Universo.

E as principais estrelas que iluminam o nosso caminho, determinando as etapas de nossa viagem, são as estrelas que fazem parte das constelações do Zodíaco. As constelações do Zodíaco são pontos de luz onde os povos antigos projetaram seus símbolos – a partir de suas experiências, na Terra, naquelas épocas do ano. A Astrologia que usamos hoje é uma Astrologia cujos signos são derivados de experiências de povos que viviam no hemisfério norte. As constelações, na verdade, trazem símbolos que representam as experiências da humanidade ao longo das modificações na natureza durante as diferentes estações do ano, solstícios e equinócios. Ou seja, esses símbolos são o fruto da experiência do ser humano com as variações da luz solar recebidas ao longo do ano (as estações).

Nesta grande viagem em torno do sol, temos como companheiros de viagens, os outros planetas, além de asteróides e de (recém nomeados) planetas anões. E de Plutão, seja qual destas atribuições for dada a ele.

Esta viagem é uma viagem transpessoal, espiritual e fantástica. É pessoal, concreta e simples. Ela é “a” viagem.

Todas estas afirmações feitas acima sobre a órbita da Terra estão comprovadas cientificamente, por mais inacreditável que possa parecer para nós, que vivemos nosso dia-a-dia em meio ao ritmo acelerado da vida urbana, sem nos darmos conta que estamos dentro desta luz azul que envolve a Terra. O nosso céu é azul, porque a Terra é azul.

Muitos povos indígenas, por exemplo, sabem que a vida é um caminho espiritual. A matéria é parte do espírito. Está tudo interligado. E que a Vida é viva, como as matas, as florestas e os animais.

Voltando aos planetas, e a um enfoque positivo da astrologia visando um crescimento espiritual, compreender o significado dos planetas e de seus ciclos, suas fases e processos, e onde ocorrem, é a chave para entrar no mundo mágico da vida e transformar nossas vidas, e o mundo em que vivemos, para melhor. Podemos transformar o presente, o futuro e até mesmo o passado, através de uma compreensão e entendimento dos fatos à luz de uma visão mais abrangente e mais compassiva.

Este é o grande presente que o estudo da Astrologia pode nos proporcionar.

Rio de Janeiro, 31 de outubro de 2008

Sobre o Autor

CNA (Central Nacional de Astrologia)