A Era de Aquário

27 de Janeiro de 2011 Artigos, Diversos: a partir de janeiro/2010 Comentários desativados em A Era de Aquário

Além do movimento de rotação da Terra em torno de seu eixo, há também um movimento que envolve uma lenta mudança deste próprio eixo, e a este movimento chamamos “precessão dos equinócios”. Por conta desse movimento a posição do Sol na eclíptica se modifica vagarosamente, modificando o fundo aparente das estrelas ditas “fixas”.

Um observador atento notará que, ano após ano, o Sol cruza o equador no início de cada equinócio sempre um pouco antes do ponto cruzado anteriormente. Aproximadamente a cada 72 anos, os equinócios caminham um grau para trás, o que incorre na duração de cerca de 2156 anos para cada Era astrológica, e um ano sideral de 25868 anos terrestres (quando todo o zodíaco é percorrido).

Cálculos variados localizam a Era de Aquário como tendo início por volta do ano de 2600. Há algumas divergências quanto a isso. Max Heindel, por exemplo, aponta o ano de 2654 como início da Nova Era, enquanto que Shepherd Simpson aponta o ano de 2680. Divergências acerca da exatidão à parte, o importante aqui é compreender o que caracteriza a mudança de uma Era para a outra: a precessão dos equinócios.

Nos anos 60, pouco antes da estréia do famoso musical “Hair“, no qual foi lançada a conhecida canção “Let the sunshine in” (mais conhecida como “Aquarius“, por conta de seu refrão), ocorreu um acúmulo planetário (stellium) no décimo-primeiro signo zodiacal. Nos dias 4 e 5 de fevereiro de 1962, praticamente todos os planetas do céu visível (os planetas tradicionais da Astrologia) se encontravam alinhados no signo de Aquário. Na ocasião, diversas reportagens e astrólogos anunciavam que este seria “o sinal” para o início da Era de Aquário. Investigações em bibliotecas públicas poderão comprovar o que digo: muitos astrólogos de todas as partes do mundo anunciavam o dia 4 de fevereiro de 1962 como sendo o início da tão esperada Nova Era, considerada a promessa de um período de paz, harmonia e fraternidade entre os povos.

Há dois pontos importantes a serem considerados, aqui: primeiramente, não obstante o fato de que o aglomerado planetário de 1962 tenha sido realmente impressionante, o que marca o início de uma Era não é um aglomerado num signo, e sim a precessão equinocial. É tecnicamente incorreto atribuir o início da Nova Era ao dia 4 de fevereiro de 1962; em segundo lugar, o acúmulo astrológico em Aquário foi seguido pelos mesmos tradicionais conflitos, guerras, manifestações de intolerância e todas as coisas que ainda fazem parte da natureza humana.

Em 17 de outubro de 1967, anos após o impressionante aglomerado aquariano, foi lançado o musical “Hair”, cuja música-tema canta (traduzindo para o português):

“Quando a Lua estiver na sétima casa
E Júpiter se alinhar com Marte
Então a paz guiará os planetas
E o amor dirigirá as estrelas
Este é o começo da Era de Aquário (…)”

A música em questão não está tecnicamente correta, já que, conforme explicado, o início da Era de Aquário não tem absolutamente nada a ver com Marte alinhado com Júpiter ou com a Lua na Casa 7. Entretanto, a música não tem nenhuma obrigação de estar tecnicamente correta. Vale aqui recordar a controvérsia envolvendo o filme “O Signo da Cidade”, no ano passado: a arte não tem que corresponder a uma verdade técnica. Se a música expressasse que a Era de Aquário começaria com Plutão na Casa 13 ou com a Lua retrógrada, isso seria licença poética, a prioridade é a rima, a estética, e não a verdade técnica. O problema começa quando queremos de qualquer jeito encaixar a arte na verdade técnica ou a verdade técnica na arte.

Vale também salientar que a música em momento algum diz que o alinhamento de Marte com Júpiter deve ser no signo de Aquário. Ela fala de alinhamento de Marte com Júpiter puro e simples, coisa que acontece com grande regularidade. A Lua na Casa 7, por sua vez, é um evento diário. A propósito, a Lua sempre estará na Casa 7 em algum ponto do planeta Terra.

Nos próximos dias 14, 15 e 16 de fevereiro, viveremos um alinhamento envolvendo os planetas Marte e Júpiter no signo de Aquário, numa conjunção muito próxima. O Nodo Lunar Norte e Quíron também estarão envolvidos nessa configuração. Mercúrio se aproxima de Marte e Júpiter por conjunção aplicativa; e Netuno, apesar de estar em Aquário, estará muito distante do que seria aceitável para uma conjunção. Alguns astrólogos salientam a importância deste dia como sendo um dia favorável para meditações concernentes à paz mundial, à fraternidade entre os povos e outras coisas que fazem parte do ideal aquariano. Outros (poucos) apontam para esta data como sendo a data de início da Era de Aquário, usando como argumento o fato de a configuração astrológica desse dia ser a cantada pela música “Let the sunshine in“.

No tocante à possibilidade de meditarmos e fazermos mentalizações pela paz mundial, não há nenhuma incorreção técnica neste clamor. Particularmente, creio que todos os dias são dias em que este tipo de bom desejo pode ser emitido, mas esbarramos aí com a crença de cada um, que não tem nada a ver com tecnicidades astrológicas.

Entretanto, se o astrólogo acredita que o dia 14 de fevereiro de 2009 assinala o início da Nova Era, ele está tão errado quanto estiveram aqueles que, em 1962, diante de um aglomerado astral muito mais impressionante do que o que veremos no próximo dia 14, afirmaram a mesma coisa. O que poderá ser comemorado no dia 14 de fevereiro próximo será tão-somente a conjunção de Marte com Júpiter, e não o início da Era aquariana.

Vale destacar que nos encontramos num período de transição, em que a Era de Peixes manifesta seus derradeiros estertores e a Era de Aquário já mostra seus primeiros sinais. Apesar de a Nova Era só se iniciar por volta do ano 2600, é perfeitamente possível vislumbrarmos suas características desde já.

Por fim, como ponto de reflexão possível, vale questionar se a Era de Aquário é o que imaginamos que seja. Muitos idealizam a Nova Era, apostando nela como sendo um período de paz, amor e harmonia universais. Na prática, entretanto, uma Era astrológica não é melhor do que a outra, é apenas diferente, com novas virtudes e novos problemas. Que problemas possíveis podemos ter de enfrentar na Era de Aquário é assunto para muitas discussões que servirão como novos artigos para este site.

Alexey Dodsworth é Diretor Técnico da CNA

Sobre o Autor

CNA (Central Nacional de Astrologia)