História da CNA

A História da CNA: DO INÍCIO ATÉ O PRESENTE

O campo anterior à CNA

Várias iniciativas aconteceram no Brasil no sentido de agregar, unir e criar um espaço de defesa da Astrologia e dos astrólogos. Podemos citar nessa jornada a criação da Associação Brasileira de Astrologia -  ABA – em 1971, a da Sociedade dos Astrólogos do Rio de Janeiro – SARJ —  em 1980, a dos sindicatos, de São Paulo – SAESP– em 1980 e do Rio de Janeiro – SINARJ — em 1989; e de outros tantos sindicatos que ainda tentam se afirmar,  embora com dificuldades no registro e validação dos mesmos, como ocorre com os Sindicatos de Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Brasilia.

No final dos anos 80 e início dos 90, inspirados no modelo da AFAN – astrólogos de São Paulo reuniram-se sistematicamente ao longo de todo um ano para criar um modelo de associação nacional que pudesse defender a Astrologia, além de agregar as escolas de Astrologia e os astrólogos em seu campo profissional: nascia assim a proposta de uma Rede Nacional de Astrologia, a RNA.  Apesar da boa vontade de todos, esbarrou ela em dificuldades na constituição de uma diretoria que refletisse o consenso de todos, e depois, em 1998, uma nova tentativa foi feita , porém sem resultados práticos.

A UNA – União Nacional de Astrólogos, — também se revelou como um momento de entusiasmo no congresso do SINARJ; no ano de 2002, porém faltaram ações concretas para levar à frente  esse anseio.

Em São Paulo, tivemos os Fóruns de Astrologia criados pelo Robson Papaleo, da Gaia, durante os anos de 2001 e 2002: foram encontros de grande importância, por representarem momentos intensos de debate de temas cruciais para os astrólogos, nascendo inclusive o movimento de ‘Memória da Astrologia’, dirigido pelo Edil Carvalho e Nádia Oliveira.  E também foi possível uma reaproximação do meio astrológico com os dirigentes da ABA.

 

Em 19 de agosto de 2005, às 16:42h no Rio de Janeiro (RJ) nasce a CNA

No ano de 2005, por ocasião do 7º Simpósio Nacional de Astrologia do SINARJ, no Rio de Janeiro, em seu pré-simpósio, é dado o passo decisivo para a criação da CNA. Nesse pré-simpósio, a pedido de Maurício Bernis, é colocado na pauta o item “criação de uma nova entidade de representação dos Astrólogos no Brasil”. Na oportunidade estavam reunidos representantes dos sindicatos dos Astrólogos de Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Brasili, além de diretores de escolas e representantes de associações de Astrologia, estudantes e profissionais de diversas regiões do Brasil. Assim foi criada a CNA.

A necessidade, que ainda é presente, de termos uma entidade que represente a Astrologia em nível nacional e que possa ser um elemento agregador dos astrólogos e estudantes de Astrologia, foi o grande e verdadeiro estímulo à criação da CNA.  No seu nascimento foi concebida como um órgão regulador, que pudesse vir a se tornar um Conselho Nacional de Astrologia.  Entretanto, essa proposta inicial não encontrou respaldo jurídico, em função de a categoria profissional do astrólogo não existir legalmente – e em virtude de nossa legislação criar uma série de requisitos específicos para a criação de um conselho nacional.

Na reunião supracitada, que representou esse momento histórico de criação da CNA, estavam presentes 50 pessoas:

Adriana Gottardo – RS
Alexandre Fücher – SP
Ana Maria Costa Ribeiro – RJ
Ângela Brainer – PE
Ângela Tereza – RJ
Antonio Carlos Harres – RJ
Carlos Hollanda – RJ
Carmen Barros – RS
Celisa Beranger – RJ
Cleonice Silva Lopes – RJ
Clovis Pires – RS
Cristina Figueiredo – RJ
Cristine Essinger – RJ
Dayse Silveira – DF
Diana Masuda – DF
Edil Carvalho – SP
Eleonora Medeiros – BH
Eni P. Leitão – PE
Fernando Fernandes – RJ
Gilsi – RJ
Hiroshi Masuda – DF
Hugo Maroni – SP
José de Miranda – PB
José Pinotti – SP
Jôsy Lang – MT
Juliana Wexel – RS
Lúcia Torres Cardoso – RS
Luisa M. Maximo
Márcia Mattos – RJ
Maria Eugênia de Castro – RJ
Marilda Bourbon – RJ
Mariza de Amorim – RJ
Maurício Bernis – SP
Mônica Matta Machado Auler – MG
Monica Virginia Fernandes- RJ
Nezilda Passos – RJ
Nívia Mariza da Silva Freitas – BH
Patrícia Valente – SP
Paulo de Tarso Ferreira – SP
Regina Netto – RJ
Ricardo Lindemann – DF
Rogéria Ferreira – RJ
Soraia Malafaia – SP
Soraia Maria – RJ
Tânia Barbosa da Silva Chaves – RJ
Tereza Maia – PE
Thereza Christina G. Góes – RJ
Therezinha Gouveia – RJ
Vanessa Tuleski – RJ
Vinfredo Koch – RS

A CNA foi criada na Lua Cheia do eixo Leão – Aquário. O Sol em Leão e a Lua Cheia em Aquário, signo que ocupa o Ascendente, e Urano na cúspide da Casa II, refletem o apoio que a entidade vem recebendo desde sua formação e seu amplo potencial de realização em prol da Astrologia.

Os primeiros passos foram dados com a criação de uma equipe de trabalho composta por doze voluntários, para efetivação do estatuto e legalização da entidade.

Os astrólogos que compuseram essa equipe pioneira foram:

Alexandre Fucher – SP
Ângela Brainer – PE
Celisa Beranger – RJ
Fernando Fernandes – RJ
Lúcia Torres Cardoso – RS
Maria Eugênia de Castro – RJ
Marilda Bourbon – RJ
Maurício Bernis – SP
Mônica Matta Machado Auler – MG
Ricardo Lindemann – DF
Soraia Malafaia – SP
Therezinha Gouveia – RJ

Na seqüência desse primeiro passo foi realizada a Assembléia de constituição civil da CNA, no dia 2 de maio de 2006, a partir das 12 horas, na sede do SINARJ.

Foi eleita uma diretoria provisória, com o intuito de preparar todo o processo de registro do estatuto, promover a associação do maior número de astrólogos e preparar as eleições. Essa diretoria provisória foi composta por:

Presidente: Celisa Beranger – RJ
Vice Presidente : Maurício Bernis – SP

Estavam presentes e assinaram a ata de fundação:

Alexandre Fücher; Fernando Fernandes; Lúcia Torres Cardoso; Maria Ângela Brainer; Maria Eugênia de Castro; Marilda Bourbon; Mônica Matta Machado Auler; Ricardo Lindemann;  Soraia Malafaia Gomes; Therezinha Gouveia.

O primeiro Conselho Deliberativo foi eleito em 15 de setembro de 2006 e, conforme o estatuto vigente na época, responsável por eleger a diretoria até o final do ano, foi composto por:

Rio de Janeiro – Antonio Carlos ‘Bola’ Harres, Celisa Beranger, Maria Eugênia de Castro e Marilda Bourbon;
São Paulo –  Márcia Ferreira da Silva, Marco Aurélio Teixeira Fernandes e Maurício Bernis;
Rio Grande do Sul – Isabel Cristine Mueller e Lúcia Torres Cardoso;
Distrito Federal – Ricardo Lindemann;
Pernambuco – Maria Ângela Brainer Araújo;
Minas Gerais – Mônica Matta Machado Auler.

Em 03 de janeiro de 2007 o Conselho Deliberativo se reuniu e – ainda de acordo com o Estatuto então vigente — elegeu os membros da primeira Diretoria da CNA, que foi composta por:

Presidente: Maurício Bernis
Vice : Lucia Torres Cardoso
Diretora Tesoureira: Lúcia Xavier
Suplente: Cristina Maria Miranda Soares
Diretora Secretária: Márcia Ferreira da Silva
Suplente: Alexandre Fücher
Diretor Social: Antonio Carlos Harres
Suplente: Giane Portal
Diretor Técnico: Renato Quintino
Suplente: Elisa Helena Soares Bartolomeo

Essa diretoria deu início efetivo às atividades da CNA, criando principalmente o site e os Circuitos Nacionais, mas também trabalhando pelo desenvolvimento organizacional e operacional da instituição.

Diversas assembléias foram realizadas e amplas discussões foram levadas a efeito, de tal forma que o Estatuto foi radicalmente alterado, no sentido de uma maior democratização da CNA. Foram introduzidas as eleições diretas para a Diretoria, reduzido o poder inicial do Conselho Deliberativo e criada a assembléia na modalidade virtual (pela internet), com eleições por esse meio.

Em decorrência, a diretoria seguinte foi eleita em Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 23.12.08, com os seguintes membros:

Presidência: Maurice Jacoel
Vice: Claudia Hartley Lisboa
Diretora Secretária: Arlene Souza de Amorim
Suplente: Evencio C. Mendes
Diretora Tesoureira: Evanise Colombini Miranda
Suplente: Guilherme Henrique Salviano
Diretor Social: Jose Maria Gomes Neto
Suplente: Giane Portal
Diretor Técnico: Alexey Dodsworth Magnavita de Carvalho
Suplente: Oscar Quiroga

Essa Diretoria passou por diversas alterações, devido à saída da CNA ou pedido de exclusão da Diretoria como tal, por parte de alguns componentes, com a decorrente ocupação do cargo titular por suplentes. Além disso, através de Assembleia Geral Extraordinária, ocorrida em 25.04.09, com nova (e mais completa) mudança do Estatuto, os ‘suplentes’ passaram a ser ‘vices’. E então, atualmente, já em final de mandato, está composta pelos seguintes membros:

Presidência: Maurice Jacoel
Vice: Titi Vidal
Diretor Secretário: Guilherme Salviano
Vice: cargo vago
Diretora Tesoureira: Evanise Colombini Miranda
Vice: Célio Barros
Diretora Social: Giane Portal
Vice: cargo vago
Diretor Técnico: Alexey Dodsworth Magnavita de Carvalho
Vice: cargo vago

É importante esclarecer que, nas eleições que deverão ser levadas a efeito até fevereiro 2011, de acordo com o Estatuto vigente, deverão ser votados os nomes não só para a nova Diretoria, mas também para o Conselho Deliberativo e para o Conselho Fiscal.

Diretoria da CNA – Dezembro / 2010

Associe-se

Associe-se Apoie a Astrologia Nacional

Astrólogos associados

O espaço dos associados da CNA

Mercúrio Direto