Repórter Planetário – Observações no céu do Brasil em 2011

14 de fevereiro de 2011 Artigos, Diversos: a partir de janeiro/2010 Comentários desativados em Repórter Planetário – Observações no céu do Brasil em 2011

No Brasil, em 2011, o principal fenômeno astronômico previsto é um eclipse total da Lua no dia 15 de junho, uma quarta-feira. Neste dia, nosso satélite natural nascerá por volta ds 18 horas, já encoberto pela sombra da Terra, e o eclipse terminará por volta das 19 horas. Este horário é, evidentemente, aproximado, variando para mais ou para menos em cada cidade brasileira.

Dada a beleza do fenômeno, recomendo que deixem a data já anotada em suas agendas. Será especialmente bonito “não ver” a Lua nascer, já que ela já nascerá eclipsada, e paulatinamente se libertará da sombra.

Para os que se interessam por chuvas de meteoros – outro fenômeno belissimo – seguem as principais datas:

1. Chuva de meteoros Eta-Aquarídeas, sendo mais visivel na noite de 5 de maio: algo em torno de 35 “estrelas cadentes” por hora.
2. Chuva de meteoros Orionideas, noite de 22 de outubro: algo em torno de 25 “estrelas cadentes” por hora.

O mais legal é que estas chuvas de meteoros ocorrerão em dias vizinhos ao da Lua Nova, de modo que o céu estará suficientemente escuro para a observação do fenômeno. 5 de maio cai numa quinta-feira, mas 22 de outubro cai num sábado, possibilitando o afastamento da cidade. Deste modo, para os habitantes de cidades grandes, onde a luz artificial atrapalha imensamente as observações, recomendo uma pequena viagem para cidades do interior. Deitem-se campo, abram uma garrafa de bom vinho, champagne, suco, o que preferirem, e deleitem-se com a beleza de uma chuva de meteoros. Em lugares de pouca luminosidade artificial, estas “chuvas” são de uma beleza dificil de descrever. Parece que pequenas chamas desabam do céu, quase que ininterruptamente.

Há outras chuvas de meteoros durante o ano: as Perseidas, no dia 12 de agosto, as Leonideas no dia 17 de novembro e as Geminideas, no dia 14 de dezembro. Contudo, a proximidade com o dia da Lua Cheia atrapalha consideravelmente a observação, mesmo para quem mora em regiões pouco iluminadas por luz artificial.

Não há previsão de passagem de nenhum cometa significativo, passivel de ser visivel a olho nu nos céus do Brasil.

No que concerne à visão dos planetas, não há nada de muito especial em 2011. Vênus fica praticamente invisivel entre maio e novembro, dada a sua proximidade com o Sol. Até abril, teremos a Vênus matutina [visivel pouco antes do nascer do Sol]. Em dezembro, Vênus volta a aparecer sempre pouco depois do pôr do Sol.

Marte só poderá ser visto a partir de junho.

Júpiter poderá ser visto na durante a noite, até março. Em abril e maio, ele fica invisivel, aparecendo novamente apenas a partir de junho – e durante a madrugada. A partir de 28 de outubro, dada a oposição heliocentrica Jupiter-Terra, ele se torna o astro mais brilhante do céu, depois do Sol e da Lua, e fica assim até o fim do ano.

Saturno, por fim, será visivel de madrugada até março. Em abril, dada a oposição heliocentrica Saturno-Terra, este astro poderá ser visto com grande brilho na primeira metade da noite até o mês de agosto.

Sobre o Autor

CNA (Central Nacional de Astrologia)