Lua Nova em Gêmeos – Quando a alma tem voz

24 de maio de 2017 Artigos, Ciclos Astrológicos, Diversos: a partir de janeiro/2010, Notícias, Regional SP no comments

** Por Júlio Grobel

Sabe-se que Hermes ou Mercúrio está associado ao signo de Gêmeos. O jovem Deus demonstrou sua genialidade para adquirir uma posição no Olimpo, que era seu direito de nascença, tornando-se o mensageiro, capaz de transitar livremente pelos reinos dos Deuses, dos homens e do submundo. No mito, existe uma passagem muito interessante e muito importante para que Hermes ganhe tal título. Ordenado por Zeus que devolva ao Deus Apolo o gado que havia roubado, Hermes oferece uma lira que criara como forma de compensação da parte do gado que sacrificou. Apolo fica encantando com o instrumento e Hermes, muito astuto, cria uma flauta a qual troca pelo bastão de ouro de Apolo, o caduceu.

O caduceu é um antigo símbolo representado por um bastão ao qual se entrelaçam duas serpentes. A ascensão das serpentes pelo bastão está esotericamente associada à energia kundalini, o poder espiritual adormecido em nosso chacra base, que através da consciência ascende e ativa os demais chacras até o último, no topo da cabeça, promovendo a iluminação. Assim, o caduceu também está associado ao caminho de iniciação e somente em posse de tal objeto que Hermes é capaz de ascender ao Olimpo como Deus.

O signo de Gêmeos reflete os arquétipos presentes no mito, principalmente da inteligência, comunicação e troca. Interessante observar que o caduceu de Mercúrio reflete justamente a iniciação e o início da elevação da alma, que através da consciência poderá chegar ao patamar de um Deus. Em Áries a alma nasce, se manifesta, é puramente instintiva. Em Touro já começa a desenvolver a forma, a descobrir o mundo pelos sentidos, mas sem grandes associações, apenas diferenciando o mundo através dos afetos. Já em Gêmeos é como se o cérebro fosse ativado, nasce a consciência e assim a capacidade e elaborar os pensamentos, desenvolver a expressão, iniciando de fato a jornada que levará à iluminação. Não por acaso o signo está associado à infância, época em que não há repertório, mas capacidade intelectual o suficiente para começar a construir um, em adquirir mais consciência e alimentar a energia kundalini com conhecimento.

Gêmeos pode representar, assim, o início consciente da jornada, em que a mente está com sede por conhecimento e possui um arquivo que precisa ser preenchido. Portanto, o setor com Gêmeos no Mapa Natal indica a área em que se deve buscar o conhecimento, assim como uma criança curiosa que busca entender mais o mundo em que vive. Não somente, deve-se desenvolver ali um diálogo, uma troca, em fazer-se ouvir, pois Hermes não conseguiria o caduceu e a honraria de se tornar um Deus se não por tais meios.


Assim, nesta Lunação em Gêmeos, vale questionar: Que conhecimento precisa ainda ser adquirido? Que setor precisa ser desenvolvido com mais consciência para liberar a energia contida? De que forma se expressa neste setor, sendo que essa troca é a que fará toda a diferença para sua jornada de ascensão?

Sol e Lua estão sem aspectos maiores com outros astros, e o regente de Gêmeos, Mercúrio está em Touro, fazendo um sextil a Netuno em Peixes. Essa conexão positiva promove inspiração e a capacidade de diluir um pouco a mente mais prática, podendo assim enxergar a situação por um outro sentindo, buscando novos significados. Porém, com Mercúrio em Touro, o quanto se engole e fica entalado na garanta ao invés de expressar aquilo que pensa por não sentir segurança para tal?

A Lunação pode não estar envolvida com aspectos maiores, mas há paralelos do Sol com Saturno e Plutão e o signo de Gêmeos também está sendo ativado por Marte que se opõe a Saturno em Sagitário. A vontade de expressão existe, a necessidade de buscar o conhecimento também, mas o que pode impedir neste momento? Que medos estão associados a essa busca e à troca? Há alguma figura de autoridade muito forte envolvida ou o que está em jogo?

No momento da Lua Cheia, dia 09 de Junho, temos Sol e Lua em quadratura a Netuno e Lua em conjunção a Saturno. Provavelmente, a razão do impedimento se manifesta neste período, e ainda assim virá acompanhada de dúvidas e incertezas que pedem por uma dissolução, uma ressignificação para que se possa saber pelo menos o caminho a seguir. Uma Lua em Sagitário indica muita idealização e Saturno impõe cobrança. Terá certeza da direção que deseja ir? Buscar desenvolver o setor e as características de Gêmeos é fundamental nesta Lunação, ou seja, construir uma troca mental sadia com o intuito de buscar mais conhecimento e levar mais consciência às questões referentes ao setor de Gêmeos no mapa. Ainda neste Mapa, Mercúrio, agora em Gêmeos, está sem aspecto e Júpiter, dispositor da Lua-Saturno, estacionário em Libra. O quanto deixamos de falar algo por não sentir segurança ou com medo de possíveis reações? Pode não haver oportunidades depois, por isso deve-se aproveitar a ideia do momento. Assim o faz uma criança, que não tem ainda as limitações e filtros de um adulto. Se Hermes tivesse tais limitações e filtros, possivelmente não chegaria a ser um Deus.

Importante lembrar também que esta Lunação é uma ativação do Eclipse que ocorreu no final de Fevereiro, no signo de Peixes, que estava associado a Mercúrio e Netuno. O que surgiu naquele momento que ainda não tinha uma forma? Na passagem de Mercúrio por Áries, seguido de sua retrogradação (reavaliação) e seu ingresso em Touro, o que tem forma o suficiente agora para ser expressado? É capaz de assumir a responsabilidade e as consequências por ela? Existe um provérbio chinês que diz “há três coisas que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida”. Que oportunidade está sendo perdida por não expressar, por medo de assumir as consequências por tal ato?

Fazendo um paralelo com a situação nacional, esta Lunação cai em cima da Lua e Júpiter do Mapa do Brasil, na casa 4. Júpiter representa as leis e rege a casa 11, do Poder Legislativo, do Congresso Nacional, dos representantes do povo no poder. O quanto o povo tem voz de fato, ou o quanto a voz do povo está sendo ouvida e representada pelos que por ele foram eleitos? A OAB disse que interviria e pode ter neste momento força o suficiente para mostrar que a lei se aplica até aos mais poderosos, mesmo tendo como consequência uma nação sem rumo definido. E vale considerar também que o Eclipse de Fevereiro caiu na casa 1, que representa a própria Nação e os propósitos do país, e ainda opôs ao Sol, à figura do presidente, colocando na balança o interesse de uma nação e de seus representantes. E já que estamos falando de Mercúrio e Gêmeos, vale refletir sobre o papel da mídia neste ponto. Ela certamente é capaz de causar um forte impacto sobre qualquer um dos lados. Até que ponto tal mídia reflete a voz de uma nação ou a engana e manipula?

Não me proponho aqui a fazer uma análise profunda do cenário político, mas sim trazer uma pequena amostra do macro e como ele se reflete no micro. É provável que a mensagem mais forte desta Lunação seja “onde está sua voz?”. O que sua alma está querendo dizer? É capaz de lidar com as consequências que a acompanham?

Abro aqui mais um parêntese com o filme O Discurso do Rei (Tom Hooper, 2010) que narra a luta do rei da Inglaterra Jorge VI (interpretado por Colin Firth) com sua gagueira ao assumir o trono após o irmão ter abdicado. O rei contrata um especialista, Lionel Logue (interpretado por Geoffrey Rush), para ajudá-lo em um importante discurso com transmissão nacional pelo rádio informando a população a posição do país perante a Segunda Guerra Mundial, que havia começado. O rei não se cura da gagueira, mas a domina em seu discurso em que pronuncia cada sílaba com muita intensidade, comovendo uma nação. No decorrer da narrativa, desenvolve uma relação de amizade com Lionel e este interpreta um papel importante, totalmente irreverente inconsequente em vários momentos do filme, dissolvendo no rei a rigidez e o medo que o fazia travar ainda mais.

Lionel parece representar muito bem o papel de Hermes/Mercúrio. Em uma das cenas o rei confronta Lionel por ter descoberto que não era médico (no mito Mercúrio também engana), mas um ex-ator muito bom na oratória, que no passado ajudou soldados de guerra a recuperarem sua voz perdida pelo trauma. Por não ter diploma, o rei fica descrente de seus métodos e vê-se sem solução para seu caso e então surpreende-se ao ver Lionel, em um ato de irreverência, sentado no trono. Jorge VI o confronta e Lionel não ouve nenhum de seus argumentos, até o ponto em que o rei explode pedindo para ser ouvido, ao que Lionel também questiona sob qual direito já que ele nem queria ser rei para início de conversa. É então que este grita que tem uma voz, sem gaguejar e com total poder e consciência. Lionel o provoca com atitudes infantis e pega em seu ponto fraco, quando o rei vê sua autoridade sendo abafada e perdida.

O que temos para falar? Nunca se sabe qual será o resultado, mas sem expressar, sem haver a troca, ficará eternamente no mundo da imaginação. Netuno está muito presente desde o Eclipse, e é chegado o momento de dar forma e sentido a algo que no passado não havia, mas para isso é necessário externalizar, se lançar como uma criança, testar e descobrir. E aquilo que for manifestado impõe em assumir uma responsabilidade, por mais desafiador e confuso que seja. Porém, no final, acredito que não procuramos por respostas, mas sim por mais perguntas, pois são elas que levarão a tentar descobrir e conhecer mais e apenas assim será possível adquirir mais consciência, alimentando nosso arquivo de potencialidades, elevando a energia kundalini até que, assim como feito por Mercúrio, possamos nos unir aos deuses.

Sobre o Autor

Astrólogo formado pela Humaniversidade e Gaia - Escola de Astrologia. Atualmente colabora com horóscopo e matérias para o portal da revista Glamour.

Join the discussion

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *