Lua Nova de Aquário – Quando a alma quer ser livre

27 de janeiro de 2017 Arquivo, Artigos, Lua Nova / Lunação no comments

 

 

 

Outro dia vi essa propaganda da Adidas que expões vários artistas e esportistas em uma montagem de imagens não linear ao som de uma versão também não convencional do clássico My Way, de Frank Sinatra, em que é lançada a frase “ORIGINAL nunca está terminado”. Coincidentemente (ou não) o comercial foi lançado virtualmente uma semana antes da Lunação em Aquário e, a meu ver, descreve muito bem o que esse novo ciclo representa.

 

Poderia aqui fazer uma longa dissertação a respeito da situação mundial, de como líderes mais tradicionais estão emergindo e talvez retrocedendo com suas ideias, o que também mexe com os movimentos sociais e une as pessoas a lutarem pelo progresso e evolução. Mas por mais aquariano que isso também seja, existe, a meu ver, um ponto muito mais importante e individual que esta Lunação vem trazer, bem traduzida pelo comercial e pela música e Frank Sinatra: a liberdade.

 

Afinal, o que é essa tal liberdade? Será que temos direito a isso numa sociedade ou ambiente familiar cheio de regras e padrões? Talvez não totalmente, mas não significa que não iremos lutar por ela e existe melhor forma de fazer isso do que ser autêntico ou ser quem você realmente é ou expressar aquilo que realmente deseja? Existe aqui uma polarização a Leão, oposto complementar de Aquário, mas a diferença é que o ponto não é simplesmente incomodar para chamar atenção através da expressão criativa pessoal, mas fazer barulho, incomodar, cutucar, abrir a mente para reflexões , questionamentos e novas possibilidades. Qual a diferença do amanhã para hoje se tudo for igual? A ideia é evoluir, pegar o que já está seguro e estruturado por Capricórnio e avançar para a próxima etapa.

 

Livres são aqueles que ousam dar esse passo, que conseguem expressar sua natureza, sua individualidade e autenticidade em meio a padrões e normas, peitam e questionam o que está vigente. Nisso acabam tocando outros, formam-se grupos e movimentos, surgem novas ideias, e para os mais tradicionais são vistos como rebeldes ou um vírus que ao invadir um organismo “sadio” mexe com todo o sistema, mas talvez seja o que o sistema precise para ficar ainda mais sadio.

 

2 - tumblr_nw67oiQKlO1qfluu6o1_r1_1280

 

 

 

Observando a Lunação do dia  27 de Janeiro, não existe nenhum outro aspecto envolvido. Em que setor de nosso Mapa Natal deve ser trabalhar o conceito de liberdade e autenticidade? Onde está nossa originalidade? De que forma podemos avançar ali? Ao observarmos os dispositores, Saturno e Urano, em mútuo trígono, nada nos impede, muito pelo contrário, teremos facilidade em assumir responsabilidade pelas mudanças que queremos em nossas vidas e ousadia o suficiente para expressar nossa originalidade e sair daquela zona de conforto. Claro que não podemos negar os outros aspectos tensos envolvidos, principalmente a oposição de Urano a Júpiter e a quadratura a Plutão. Talvez estejamos segurando essas ideias há tanto tempo que se libertar pode implicar em atitudes drásticas e exageradas. O tempo que manteve a fera presa na jaula será proporcional a sua impaciência, o que pode levar a extremismos.

 

Lunação de Aquário – 27/01/2017, 22h06′, Brasília- DF

 

 

Já na Lua Cheia, no dia  10 de Fevereiro, nota-se a configuração do Papagaio, um aspecto muito benéfico envolvendo trígonos  e sextis de Urano e Saturno que “protege” a oposição Sol-Lua. A libertação leva ao desejo de expressar o próprio potencial e individualidade (Leão), mas existe uma consciência do papel social que isso está associado. Em outras palavras, não podemos sair falando ou agindo da forma como bem entender sem considerar os impactos sociais que isso irá causar. Por isso a liberdade chega até um certo um ponto mas é o que difere do animal Leão para o homem Aquário. Não vivemos na selva ou isolados, temos consciência e somos parte de uma comunidade e a influenciamos através de nossa expressão criativa.

 

Lua Cheia de Aquário – 10/02/2017, 22h32′, Brasília- DF

 

 

O Universo funciona com opostos, luz e sombra, ação e reação. Quanto mais movimentos sociais e libertários emergirem, mais forte será a reação dos mais tradicionais e vice-versa. Estamos vivendo isso agora, em que vozes estão sendo caladas. Mas não dá mais para baixar a cabeça, pois em épocas de oposição Júpiter-Urano e quadratura Urano-Plutão fica difícil engolir o que não conseguimos digerir. As reações podem ser as mais explosivas, exageradas e imprevisíveis, mas não deixam de ser necessárias, pois só assim seremos capazes de adquirir uma consciência para onde devemos avançar.

A água do símbolo de Aquário jorra, ela não fica parada e estagnada. E ao jorrar atinge quantos seres estiverem em seu caminho, despertando a vida, prontos para se manifestarem de uma forma individual, mas ainda assim visando o coletivo, mirando na mudança. No fundo, queremos ser ouvidos e há maneira melhor de fazer isso do que expressando nossa originalidade? O “original nunca está terminado”, ou seja, há sempre espaço para o novo e para se reinventar e assim expandir aquilo que estrutura para algo além de edifícios e economia, para algo humano. Dessa forma, através da nossa originalidade nos unimos a outras mentes que pensam igual e quanto mais água jorrar na mesma direção, mais força ela terá.

 

4 - c7fe61494510dc51015736b866bc75ba

 

 

Sobre o Autor

Astrólogo formado pela Humaniversidade e Gaia - Escola de Astrologia. Atualmente colabora com horóscopo e matérias para o portal da revista Glamour.

Join the discussion

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *