Júpiter entra em Leão e faz trígono com Urano

23 de julho de 2014 Notícias 1 comment

Por Elias Mendes

Júpiter entrou no signo de Leão dia 16 de julho modificando sensivelmente o cenário astrológico de 2014. O primeiro semestre deste ano foi marcado pela exatidão de uma configuração em cruz no segundo decanato dos signos cardinais que além de envolver Urano e Plutão (que estão em quadratura já desde 2010) envolveu Marte (que realizou movimento retrógrado em Libra) e Júpiter, que passava pelo signo de Câncer e que também realizou movimento retrógrado justamente no segundo decanato do signo, epicentro da quadratura maior de urano e plutão.

A tensão da cruz cardinal exata de 2014 trouxe agitações e conflitos e reavivou questões adormecidas em diversos pontos do mundo. Sentimos a reverberação dessas tensões até agora, quando Marte vai finalizando seu trânsito pelo signo de Libra e Júpiter dando seus primeiros passos em Leão. Mas a tendência é que os próximos dias tragam uma nova perspectiva, quanto mais Júpiter se aproximar do trígono com Urano em Áries que se aproxima. Esse aspecto será uma das marcas do período que se inicia agora e que vai se estender pelos próximos 12 meses. A outra marca será a aproximação da quadratura entre Júpiter e Saturno , evento culminante que anuncia a aproximação da fase minguante do ciclo Júpiter/saturno iniciado no ano 2000. Essa quadratura fica perfeita pela primeira vez somente em Agosto de 2015, com Júpiter em 28° de Leão e Saturno estacionário aos 28° de Escorpião, mas ela vai longe e se estende até 2016 integrando uma nova formação em cruz (dessa vez em T) nos signos mutáveis, com júpiter oposto a Netuno em peixes e quadrando Saturno em Sagitário.

Temos que pensar, Temos que pensar, antes de qualquer coisa, no que acontece com Júpiter quando este sai do signo de Câncer e ingressa em Leão. Ainda que Júpiter tenha entrado num signo que é da sua triplicidade, ao sair de Câncer ele deixa de estar exaltado, o que se configura numa perda razoável de força. A saída de Leão entretanto é que se configura como um verdadeiro abismo pra Júpiter, porque ele sai de uma situação de semi dignidade pra uma situação de exílio. Quando digno, Júpiter indica otimismo bem embasado, promessas confiáveis e maior boa vontade entre as pessoas, isso num contexto genérico. Na realidade os benefícios continuam mas em menor intensidade.

Pensando um pouco na simbologia de cada signo é mais fácil de compreender a diferença. Câncer é um signo de água, que representa o universo emocional, o passado, a família e a intimidade. Representa o lar e simbolicamente é a mãe, a chuva e a noite. É um signo extremamente fértil, domicílio da Lua e exaltação de Júpiter. A exaltação de Júpiter funciona em câncer através de uma ampliação do aspecto da fertilidade, significando fartura e acolhimento. É um sentimento de união entre iguais, um fortalecimento de antigos laços. As oportunidades surgem como herança ou consequência de atos passados, ou através de familiares e pessoas do nosso círculo mais íntimo. A origem das oportunidades numa época de júpiter em Câncer é confiável, porque vem de lugares e de pessoas que já conhecemos e podemos confiar.
O signo de Leão, simbolizado pelo rei da selva, está relacionado a noções de autoridade, realeza, masculinidade. Leão é o rei em um ambiente hostil e competitivo: a selva. Assim, em um período de Júpiter em Leão as oportunidades jupterianas precisam ser conquistadas, e há competição plena. Temos que nos colocar a prova, aceitar os desafios, precisamos nos despir do medo de nos expor ao risco, temos que ter em mente que na selva, todos os leões tem fome, então precisamos contar com a competição. A oportunidade é conquistada através da luta ou na forma de um troféu em reconhecimento as nossas qualidades. Podem surgir também como dádivas dadas por figuras de autoridade, como um pai ou uma mãe que mima um filho por ter tirado boas notas ou um patrão que reconhece os esforços de um empregado. Leão é um signo generoso, mas a cobrança do empenho, e a oportunidade só vem se fizemos por merecer. Em Câncer, a única condição é que façamos parte do círculo. Essa é a sutil diferença que podemos perceber na mudança de Júpiter de Câncer pra Leão: Em leão teremos que nos esforçar minimamente.

O campo de atividades beneficiado pela passagem de Júpiter em Leão é amplo. É um signo muito favorável para a prática de esportes, especialmente pra quem está começando ou pensando em reiniciar um ciclo de atividades. As modalidades favorecidas são variadas, mas são favorecidas em especial as que são praticadas ao ar livre ou as que requerem o uso da força. A vaidade simbolizada por este signo acaba empurrando muita gente pra atividades cuja finalidade é uma melhoria estética ou uma implementação na autoestima. Tudo o que se relaciona ao mundo do entretenimento como a televisão, o cinema, o teatro ou shows e eventos temáticos em geral ficam favorecidos pela passagem de júpiter por este signo. Atividades lúdicas, voltadas tanto para crianças como para adultos ficam favorecidas, e a combinação de Júpiter em Leão com Saturno em Sagitário do primeiro semestre de 2015 podem tornar o jogo e a aposta atividades muito visadas. Em júpiter em leão a satisfação do ego e o sentimento de vitória ou sucesso se tornam especialmente atraentes e tendem a ser mais perseguidos. É ainda um posicionamento que pode favorecer a transições, trocas ou reafirmações de lideranças seja no espectro político, financeiro ou militar. Tanto o início de novos “reinados” quanto a reafirmação de “reinados vigentes” são coisas favorecidas, porque um regime administrativo iniciado com Júpiter no signo que simboliza a liderança e o sucesso tende a funcionar bem, especialmente se este Júpiter estiver em sintonia com o mapa do novo líder.

Essa passagem de Júpiter em Leão é marcada por dois aspectos a planetas lentos: O trígono com Urano em Áries, que vai dominar o astral por um período de vários meses porque vai se dar inclusive durante a retrogradação de Júpiter. O outro aspecto é a quadratura de Júpiter com Saturno, que se aproxima da exatidão em 2014, mas o aspecto não se completa porque Júpiter entra em movimento retrógrado antes de atingir o grau de Saturno. A exatidão do aspecto ocorrerá somente em agosto de 2015, já nos últimos dias do trânsito de Júpiter em Leão, e vai se aprofundar durante o trânsito de júpiter por Virgem.

O trígono entre Júpiter e Urano é um aspecto exuberante e que tende trazer uma energia marcada pela ousadia, pela originalidade e por uma atitude positiva no geral, não só porque se dá em signos de fogo (naturalmente otimistas) ,mas principalmente pela interação harmônica entre o planeta que simboliza oportunidade e expansão e o planeta que simboliza inovação e ruptura. Isso indica, no plano pessoal, muito mais desembaraço na hora de nos desvencilharmos de situações opressivas ou limitadoras de alguma maneira. Sentimos coragem extra pra promover mudanças e encarar o desconhecido e assim abrir caminho pra uma vida mais de acordo com o que queremos. Tudo isso feito de forma menos “rasgada”, como poderia sugerir um trânsito isolado de Urano. Ao invés de nos amedrontarmos com o desconhecido, vamos sentir com mais frequência um agradável frio na barriga associado às novidades, um clima de aventura no ar.

A nível coletivo, precisamos nos remeter a última conjunção entre Júpiter e Urano . Essa conjunção ocorreu entre 2010 e 2011, uma aos 27° e outra aos 28° de Peixes e uma outra ainda em 00° de Áries. Foi uma conjunção que marcou o próprio ingresso de urano em Áries e o estabelecimento da quadratura entre Urano e Plutão e todas as agitações associáveis a este movimento celeste. Politicamente o mundo passava pela chamada Primavera Árabe. Mais do que isso, essa conjunção marcou o momento em que as redes sociais de fato estabeleceram um papel político inovador e transformador. Tanto a chamada Primavera Árabe quanto o movimento “Occupy Wall street” e os diversos movimentos vistos em lugares como a Turquia, a Ucrânia e até mesmo o Brasil refletem um novo nível de articulação política da sociedade através dos meios digitais. Em 2010, no Brasil, tivemos a primeira campanha de eleição presidencial cujo papel das redes sociais foi fundamental no processo de divulgação de informações, dada a multiplicidade de plataformas e a liberdade inerente (ao menos por enquanto) ao meio digital. Essa conjunção ocorreu também um pouco antes do Tsunami de 2011 no Japão que trouxe à tona toda uma discussão relacionada ao uso da energia nuclear e os seus riscos.

O que vivemos agora é um trígono crescente entre Júpiter e Urano. Trata-se de um momento em que ocorre uma ampliação de coisas iniciadas em 2010. É um processo que passa pelo sextil crescente (2012-13), a quadratura crescente (2013-14) e agora o trígono crescente (2014-15) que leva ao crescimento e ao amadurecimento do que emergiu primariamente durante a conjunção. O Sextil agindo como um impulso de continuidade, a quadratura indicando um processo em que o crescimento começa a forçar seus limites gerando atrito, como quem tenta correr estando ainda amarrado a correntes que cerceiam a liberdade e que impedem a fluidez. O trígono é uma espécie de “rompimento da represa”, queda das limitações simbólicas e reais, em função da pressão exercida , do grito, do empurrão.

A passagem da quadratura para o trígono crescente é o parto, é o nascimento. De repente a energia consegue fluir, e a mudança consegue se estabelecer sem tanta ansiedade e tensões, e o discurso se suaviza. Muitos dos movimentos que vimos nos últimos meses e anos tiveram um caráter de tentativa de rompimento que se manifestou através de ondas de violência. Era o grito de quem ainda não conseguia se articular claramente, de quem sabia que queria alguma coisa mas ainda não conseguia determinar exatamente ‘qual’ coisa. Com o trígono isso fica mais claro, a reivindicação mais objetiva. Evidentemente que o que impera ainda é quadratura Urano e Plutão, mas acredito que fica claro como é esse processo do sextil, quadrado e trígono crescente. Não podemos esperar ainda suavidade e estabilidade porque a quadratura mais lenta de plutão com urano ainda segue e o trígono neste caso só vem na próxima década e se dará em signos de ar. Mas por hora, o trígono entre urano e Júpiter serve pra nos visualizarmos mais saídas para questões localizadas, reivindicações que se encaixam na realidade e que são feitas de forma menos autoritária e principalmente, com um grau de definição e precisão daquilo que se quer mais esclarecido.

O trígono entre Júpiter em Leão e Urano em Áries começa a partir de setembro, com o primeiro contato exato ocorrendo em 25 de setembro de 2014. Outro contato exato ocorre com júpiter retrógrado no dia 3 de março de 2015, e por fim o aspecto termina em junho de 2015, com o último contato exato ocorrendo em 22 de junho de 2015.

O outro aspecto que marca esse trânsito de Júpiter em Leão é uma quadratura entre Júpiter e Saturno, Quadratura minguante associada ao ciclo que começou no ano 2000, quando júpiter e Saturno formaram conjunção em 22° de Touro. Esta quadratura tem o potencial de trazer um aprofundamento ou um novo desdobramento da crise econômica mundial iniciada há seis anos, até porque estaremos entrando na fase minguante do ciclo de 2000 que vai até 2020, quando uma nova conjunção vai acontecer em 00° de Aquário. A questão é que durante quase todo o trânsito de Júpiter por Leão, tudo o que vemos é uma aproximação dessa quadratura que só vem a se concretizar de fato quando este trânsito chega ao fim. Ela será muito mais contundente a partir do momento em que Júpiter entrar em Virgem.

Vemos uma aproximação do aspecto de quadratura entre júpiter e Saturno ao longo de todo o segundo semestre de 2014, situação que vai lembrar bastante o céu do ano de 2006, porém sem a ocorrência ainda do aspecto exato. Em 2006 tínhamos Saturno em Leão com Júpiter em escorpião, e o que ocorre agora é uma inversão, com Saturno em escorpião e júpiter em Leão. Podemos experimentar um sentimento parecido com o que experimentamos naquela época, marcado pela tensão natural entre os signos de escorpião e leão, que forma contra antiscion e marca uma das quadraturas mais fortes do zodíaco, o improvável encontro entre luz e sombra e que tem potencial de presidir provocações generalizadas e conflitos difíceis de serem administrados porque nenhum lado vai parecer disposto a ceder.

No final de dezembro Saturno entra em Sagitário e neste signo vai permanecer durante quase todo o primeiro semestre de 2015, sem fazer aspecto com Júpiter . Em Junho a retrogradação de Saturno traz ele de volta para o signo de Escorpião e no comecinho de agosto de 2015 a quadratura anunciada de júpiter e Saturno finalmente fica exata no dia 3 de agosto aos 28° de leão/escorpião. Depois disso termina o trânsito de Júpiter por Leão com o ingresso de Júpiter em Virgem no dia 11 de agosto de 2015.

Elias Mendes – Astrólogo Membro CNA-SC

Sobre o Autor

Iniciei meus estudos astrológicos no ano 2000 aos 14 anos de idade, de maneira completamente autodidata. Além da base autodidata da minha formação, realizei diversos cursos de aprimoramento em matérias específicas com outros profissionais da astrologia, sobretudo os ligados a astrologia clássica. Os interesses se centralizam nos prognósticos astrológicos (as chamadas técnicas preditivas), na astrologia horária e em estudos relacionados a astrologia mundial e principalmente na busca de um ponto de equilíbrio entre abordagens clássicas e modernas na prática astrológica. Sou autor do site Mega Astrologia desde 2008 .

One comment

  1. Posted on jul 31, 2014 at 10:32 AM

    Iniciei meus estudos no ano passado e cada vez mais me encanto com a Astrologia, gostaria de ler seus textos q são fluidos e poéticos. Obrigada

    reply

Join the discussion

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *