I Congresso de Astrologia do Chile será realizado em Santiago, de 07 a 09 de novembro

1 de novembro de 2014 CNA Internacional, Entrevistas, Notícias no comments

Pela ocasião do I Congresso de Astrologia do Chile, a ser realizado na capital Santiago de 07 a 09 de novembro, a CNA entrevista o seu idealizador, o Astrólogo, Terapeuta Floral, mestre em Reiki e engenheiro civil Pablo Flores, quem veio nos contar um pouco dessa experiência, de suas expectativas e do cenário da Astrologia mais para lá dos Andes.

A entrevista foi realizada pelo Coordenador do Núcleo Social, Leonardo Lemos. Para os interessados em participar, mais informações na página www.congresoastrologia.cl

Leonardo Lemos /CNA – Fale-nos um pouco da sua carreira. Como começou com a Astrologia e por quê?

Pablo Flores- Eu estudei Engenharia Civil e trabalhei nisto vários anos. Porém, paralelamente, comecei a estudar diversas terapias alternativas (Reiki, essências florais, etc.) e quanto mais estudava, mais sentia que não queria continuar trabalhando num escritório. Até que resolvi fazer um curso de um ano de formação em Astrologia. Daí meu mundo mudou, pois eu adorei e de fato a vi como uma excelente oportunidade para integrá-la a outras terapias que havia estudado. Agora se me pergunta o porquê de eu ter adorado tanto a Astrologia, a resposta é que o mapa de autoconhecimento que representa a carta astral é algo que me surpreendeu. Serviu-me muitíssimo para meu próprio desenvolvimento pessoal e evolutivo. Isto foi o que mais me interessou na Astrologia no começo até hoje: o mapa pessoal.

Leonardo Lemos /CNA – Como é a situação da Astrologia no Chile? Quem são os astrólogos mais conhecidos ou algum que lhe inspire?
Pablo Flores – A situação está muito dispersa, pois não há associações. Existem várias escolas, mas estas funcionam de maneira independente. É bastante “anarquista” o movimento (risos). Na verdade nunca houve um congresso antes justamente por que para fazer com que todos concordem é algo muito difícil.
O astrólogo que mais me inspira é meu mestre ou “Sensei”, como eu costumo lhe chamar, Anibal Bazcuñan, que foi meu professor durante os dois primeiros anos e quem me deu a visão da carta como uma ferramenta de autoconhecimento ou, como ele mesmo diria, “as perguntas que vão fazer de você um pequeno Deus no final da prova”.
E também Gonzalo Perez, um dos astrólogos mais conhecidos do Chile, tem me inspirado muito com seu livro “Un Espejo Cósmico”. Foi depois de ter lido este livro que decidi estudar Astrologia.

Leonardo Lemos /CNA – Como as pessoas veem a Astrologia no seu país? Você nota muito ou pouco interesse ou curiosidade?
Pablo Flores – Sim, há o interesse, mas ainda há muitas portas fechadas, principalmente em instituições como escolas e universidades, também em revistas ou jornais (a menos que seja para o horóscopo). Por sorte, o fato de ser um engenheiro formado numa boa universidade me permite que me escutem e assim posso apresentar projetos que têm se concretizado. Porém a maioria das pessoas ainda conserva uma visão da Astrologia como muito esotérica ou preditiva e isto faz com que em alguns círculos haja pouca disposição para se escutar a respeito de uma nova visão do que é a Astrologia. Estou certo de que existe um grande interesse por estes assuntos, e assim que algumas barreiras forem derrubadas haverá uma grande avidez por informação.

Leonardo Lemos /CNA – Existem escolas, centros ou institutos de Astrologia no Chile? Como vocês se organizam?
Pablo Flores – Como comentei anteriormente, existem aproximadamente três grandes centros de Astrologia, mas o que se tem muito são professores independentes dando suas aulas. Ao organizar o congresso tive uma surpresa ao descobrir o grande número de professores particulares que existe! Mas, uma escola onde haja mais de um professor, isto não temos… Volto à minha teoria do “anarquismo” do astrólogo chileno, o qual não gosta de se reunir e perder seu caráter independente.

Leonardo Lemos /CNA – O que você busca com o primeiro Congresso no Chile? A qual público se destina?
Pablo Flores – (risos) Quebrar o anarquismo!!! Tenho claro que um agrupamento de astrólogos é algo que em curto prazo não vai ocorrer, pois ninguém quer perder a sua independência. Talvez, como o Chile é em geral um país muito organizado, os astrólogos se revelam de forma inconsciente sendo desordenados. O que busco é que possamos nos reunir num evento onde haja o maior número de astrólogos ou de interessados em astrologia. Repetir o que vivi na Austrália em janeiro deste ano, no Congresso Internacional Australiano.
Amei esta reunião! Casa XI! Deve ser porque tenho quase tudo em Aquário!!!
O público que atenderá ao congresso é principalmente de astrólogos e de estudantes da área, mas também há pessoas que não têm conhecimentos e querem começar a aprender. Por isto temos palestras para todos os níveis.

Pablo Flores, organizador do I Congreso de Astrologia no Chile

Leonardo Lemos /CNA – Como ocorreu a iniciativa e a movimentação para realizar o 1º Congresso do Chile?
Pablo Flores – A ideia surgiu antes de eu ir à Austrália para o congresso de lá, quando me pus a pensar em organizar um por aqui. Perguntei então aos astrólogos mais veteranos se algum dia já tinham realizado algum e estes me respondem que não, que chegaram a pensar, mas não houve resultados. Basicamente porque não gostam de se organizar e porque não havia tanta constância da parte dos mesmos. Quando na Austrália, eu me dedico a estudar por lá no congresso e me dou conta de que por mais que exija muito esforço, não é algo de outro mundo e que com uma boa gestão pode se conseguir.
A verdade é que amei este ambiente aquariano que se dá quando se reúnem mais de 100 astrólogos numa sala.
Logo, chegando ao Chile, lancei a proposta e formei uma equipe. A ideia era chegar à maior quantidade de astrólogos e professores, de modo que fosse de verdade uma reunião aquariana.

Leonardo Lemos /CNA – Quais são as tendências dos profissionais de Astrologia no Chile? Seria uma Astrologia Moderna, Clássica, Psicológica ou alguma outra?
Pablo Flores – Bem, ao menos no círculo astrológico no qual transito é a Astrologia Psicológica a mais forte. Porém, como cada astrólogo prepara suas aulas a seu gosto, não há grupos que mantenham uma linha, temos algo mais livre. Sem dúvidas há um grande número que utiliza a Astrologia Clássica especialmente para uma função preditiva.

Leonardo Lemos /CNA – Como é vista a profissão de astrólogo no Chile? Pode-se, por exemplo, compartilhar espaços com outros profissionais, como por exemplo, psicólogos ou outros terapeutas?
Pablo Flores – Posso lhe falar da minha experiência, sou astrólogo e também terapeuta. E trabalho em clínicas com médicos e psicólogos. Portanto, existem os espaços e não são poucos, onde se valoriza a visão astrológica e onde existe um potencial enorme de desenvolvimento. Ainda que para a maioria dos médicos e psicólogos isto seja visto como superstição, volto ao ponto anterior: as pessoas leigas geralmente têm maior disposição a se abrir a tudo isto, mais do que as instituições ou os “especialistas”.

Leonardo Lemos /CNA – Como percebe a reação do público, seu interesse diante do Primeiro Congresso?
Pablo Flores -De certo modo foi um êxito o número de inscrições rapidamente; ao final do primeiro mês de seu lançamento já se havia ocupado a metade das vagas, o que para mim foi uma grande surpresa, pois geralmente no nosso país se deixa tudo para a última hora, poucos dias antes do evento. Além do que é uma grande novidade por aqui, pois nunca houve um evento deste tipo. Fora isto, houve também bastante movimento nas redes sociais.

Leonardo Lemos /CNA – A respeito das palestras: há um fio condutor nos temas do Congresso?
Pablo Flores – Não como um tema central. Demos bastante liberdade aos astrólogos para trazerem seus temas, ainda que a maioria seja da linha Psicológica Moderna. A divisão dos temas, fizemos mesmo com respeito ao nível: simultaneamente haverá conferências para astrólogos do nível médio ao avançado. Enquanto que em outra sala vai haver conferências para o público leigo ou astrólogos principiantes, que em todo caso também estarão muito boas e podem atrair todo o tipo de astrólogos.

Leonardo Lemos /CNA – E sobre os palestrantes: Quem são? De onde vêm? Há apenas chilenos entre eles ou também de outras partes do mundo?
Pablo Flores – A maioria dos conferencistas são astrólogos chilenos. Todos de um excelente nível e em geral os mais reconhecidos. Realmente o nível no Chile é bastante bom e tivemos de deixar de fora vários astrólogos excelentes, porque simplesmente não havia mais espaço para palestras. De fora do Chile vem a sua queridíssima Vanessa Guazzelli Paim e é uma grande honra poder contar com a presidenta de uma organização do Brasil e irá expor sobre suas investigações. Na verdade, ela irá compartilhar seu saber numa mesa redonda junto aos dois astrólogos chilenos de maior destaque. Vai ser uma experiência fascinante! E também nos visita Jorge L. Serrano, do México. É um grande presente que ele nos visite. Com seu currículo destacadíssimo e uma enorme experiência ao ter organizado os Congressos Mexicanos, vem nos falar de Quíron, uma de suas especialidades.

Leonardo Lemos /CNA – Deixe uma mensagem para todos os astrólogos brasileiros da CNA, Central Nacional de Astrologia.
Pablo Flores – Primeiramente, gostaria de lhes dar os parabéns pela sua gestão e organização. Creio que reunidos podem chegar a fazer coisas fabulosas, principalmente no que diz respeito a mudar a visão a qual a maioria das pessoas tem da Astrologia.  Segundo, eu quero convidar a todos a assistir a este bonito congresso que estamos organizando aqui em Santiago. Vai ser um encontro maravilhoso e de grande qualidade.

Um abraço!!!!!

Confiram o vídeo do Congresso neste link – http://youtu.be/UqWdyh-iIkY

Sobre o Autor

Leonardo Lemos Interessa-se por Astrologia desde muito jovem, iniciando seu curso básico no SESC- Santos em 1991 com o professor George Jorge. Passa a atender aos poucos em 1996, enquanto ainda exercia a profissão de professor de Inglês e Francês, funções que lhe permitiram investir em cursos e especializações em Astrologia, entre elas Astrologia Empresarial com Maurício Bernis, em Santos em 1998, além de ter cursado Psicologia na UNISANTOS. Desde 2001, participa da TV regional de sua cidade natal, Santos, com inserções em alguns programas, tendo ficado de 2003 a 2008 semanalmente no Programa Ação & Reação, divulgando a Astrologia e respondendo às perguntas dos telespectadores. Em 2002, começa a dar aulas para os níveis Básico e Intermediário na Escola Santista de Astrologia, dirigida por Marcia Bernardo e George Jorge (ambos de Santos- SP). Em 2011 tem seu primeiro contato com o astrólogo renomado mundialmente Boris Cristoff, criador da técnica da PROLUNA (Progressão Lunar Natural) e da Tabela Periódica da História, em Montevidéu, no Uruguai. Com ele estuda a técnica e se torna um novo divulgador da mesma, tendo apresentado a palestra “Os 50 anos da PROLUNA- A previsão pelas idades do homem” na Astrológica 2013, congresso anual de Astrologia em São Paulo. Em 2014 participa da organização da vinda de Boris Cristoff ao Brasil, à Astrológica 2014. Em 2015 apresenta a palestra "O Zodíaco Dracônico- O Zodíaco da Alma" na Astrológica 2015 na Escola Gaia e a palestra "Astrologia Vocacional e o Mapa Dracônico", no XVII Simpósio de Astrologia do SINARJ. Ministra cursos sobre técnicas dracônicas. Leonardo Lemos foi Coordenador do Núcleo Social da Central Nacional de Astrologia de abril de 2014 a agosto de 2015. Atual presidente da CNA, gestão 2015-2018.

Join the discussion

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *