A oposição Saturno-Urano

27 de maio de 2014 Artigos Comentários desativados em A oposição Saturno-Urano

Como esta oposição afeta nossa vida pessoal

Saturno e Urano fazem, agora, uma oposição no céu. Isto tem um significado em Astrologia Mundial, assim refletindo na vida de todos. Mas tem, sem dúvida, uma aplicação direta em nossa vida, individualmente: vivemos ambas as energias, tão opostas, ao mesmo tempo dentro e fora de nós.

Saturno traz estrutura, firmeza, amadurecimento. Claro que não é assim tão fácil. É ele o senhor do trabalho, do esforço e da dificuldade. Na mitologia Cronos, o senhor do tempo. É ele quem nos apresenta o crescimento, o amadurecimento e o envelhecimento. Ele quem nos ensina a crescer com responsabilidade e seriedade, mostrando limites e nos obrigando a crescer, enquanto enfrentamos as duras responsabilidades e limitações que a vida nos impõe. Saturno é o pai, o avô, o fiscal. Ele ensina e depois cobra. E então tira ou retribui. Mas sempre com justiça, na medida do esforço. É tudo proporcional. E faz crescer. Crescimento doído às vezes, cansativo em outras. Mas crescimento. É o preço que se paga se queremos adquirir experiência, maturidade e sabedoria. É como o Eremita, arcano IX do tarô, que percorre um longo e solitário caminho até chegar ao ápice de sua sabedoria.

De outro lado temos Urano. Rebelde, maluco, insano. Quer romper com todos os limites, padrões e obrigações que Saturno impõe. Ele quer o novo, o diferente, a liberdade. Quer romper estruturas, quebrar padrões,ser diferente, criativo. Traz o novo sem dó nem piedade. Abre a porta e nos obriga a sair. Nos joga em direção ao desconhecido, sozinhos e indefesos e logo temos que nos virar, aprender a lidar com aquilo e tocar a vida em frente.

Mas e agora que ambos estão opostos, brigando no céu? Isto significa que em nosso mapa e, conseqüentemente, em nossa vida, cada um deles está em uma área totalmente oposta (e complementar). Significa que se estiverem tocando algum planeta ou ponto importante do mapa temos energias totalmente antagônicas que brigam para ver quem fica, ou tentam um acordo entre elas para que ambas possam ficar. Isto é o ideal, mas para que isto aconteça é importante entender como lidar com isso.

Bem, se Saturno quer estrutura, vamos nos estruturar. Manter pés no chão, planejar, andar lentamente. Trabalhar, fazer esforço, carregar peso. Para carregar peso, é preciso tirar os excessos. Sim, porque senão a carga é muito pesada e fica difícil levá-la. É daí que surgem dor nas costas e cansaço, entre outros sintomas. Mas há a recompensa e para que seja justa haja trabalho pela frente.

Mas Urano quer mudar! E agora? Bem, mudaremos então. Abrir as portas para o novo. É o que ele pede. Não dá mais para ficar dentro de limites e padrões que estão velhos, obsoletos. Mas nada de se jogar de uma vez, pois Saturno segura uma das mãos. Está lá do outro lado pedindo que se prepare para o salto. Que se organize para a mudança. Que prepare o terreno para que a reforma seja perfeita.

Sim, é difícil e trabalhoso. Mas vamos pensar pelo lado positivo. Saturno garante estruturas, raízes. Isto significa que o que conquistamos com ele, conquistado está! E Urano nos leva ao que nos deixa livres, independentes. Ele nos liberta. E se Saturno está do outro lado, a liberdade é segura.

Pelo menos se soubermos integrar. Isto significa que devemos manter um pé de cada lado. Dar atenção às duas energias.
Pensando no tarô, lembro do louco saindo para sua jornada. Está livre, leve e solto. Abandonou tudo e carrega apenas a trouxinha, com aquilo que é estritamente necessário à sua viagem sem destino. Mas com ele, agora, parte o Eremita, ensinando o que de fato importa, o que precisa carregar, e que a sabedoria é nosso maior conteúdo.

Sim, associo este momento Saturno-Urano a um momento Louco-Eremita do tarô. Um lado quer se atirar, jogar tudo para o alto, partir em direção ao seu abismo. O outro é sábio. Sabe que precisa de estrutura e paciência para não se atirar de uma vez, pois se fizer isso pode se machucar. E é um caminho sem volta. Tal qual o salto do Louco, um rompimento uraniano tende a ser definitivo. Por isso Saturno nos diz: tenha paciência. Esta fase vai passar e você poderá saltar no seu destino, mas antes o trem precisa chegar ao seu destino. E haja paciência para lidar com esta fase!

É preciso amadurecer sem perder a inocência. É preciso arriscar sem perder a cabeça. É preciso ousar sem perder o juízo. E é preciso esperar sem perder a hora.

É assim que o momento se apresenta. Na área da nossa vida onde estiver e de acordo com assuntos que estiver ativando, nos mostra que em relação aquilo, seja uma, duas ou várias coisas ou áreas, devemos dar atenção para ambos. Devemos viver ambas as energias da forma mais integrada possível para não correr o risco de perder a oportunidade de crescer e, enfim, rumar em direção ao novo. E o que é este novo? É a essência amadurecida, é a vontade atendida. É o caminho certo sendo seguido.

Sobre o Autor

Sou astróloga, taróloga e terapeuta. Atendo e ministro palestras e cursos de Astrologia, Tarô, Radiestesia/Radiônica, Constelações Familiares/Sistêmicas, Reiki, Magnified Healing e florais. Fiz minha formação em Astrologia na GAIA-Escola de Astrologia e diversos cursos complementares em outras escolas e com professores/astrólogos independentes. Também fiz cursos de formação e especialização de Radiestesia, Tarô, Psicologia, Constelações Sistêmicas e outras áreas complementares. Desenvolvi a Mesa Astroradiônica, que une Astrologia à Radiestesia e à Radiônica. Sou astróloga licenciada pela Astrobrasil e fui Coordenadora do Estado de São Paulo, Assessora de Imprensa e Vice Presidente da CNA-Central Nacional de Astrologia. Associada à CNA – Central Nacional de Astrologia, ao SINARJ – Sindicato dos Astrólogos do Rio de Janeiro e à ASPAS – Associação Portuguesa de Astrologia. Sou autora do CBA – Caderno Brasileiro de Astrologia n. 19: Amor e Astrologia: em busca de relacionamentos melhores e co-autora do livro Comunicação em Cena, segundo volume, com o artigo Astrologia nas redes sociais: uma nova forma de compartilhar o céu, trabalho este realizado como monografia final na pós graduação que fiz em Jornalismo (Faculdade Cásper Líbero). Sou colunista de vários sites, revistas e jornais e tenho matérias publicadas e entrevistas em revistas, TV, rádio, sites e jornais.